12/03/2019 08:02

Tabaco transgênico produz proteína para uso médico

As plantas são usadas para produzir grandes quantidades de uma proteína humana

Pesquisadores da Universidade de Western Ontario (UWO) e do Lawson Health Research Institute, do Canadá, estão usando plantas de tabaco como "biorreatores verdes" para produzir uma proteína anti-inflamatória com forte potencial terapêutico. Ela aparece naturalmente no rim humano em quantidades muito pequenas e tem potentes propriedades anti-inflamatórias e imunossupressoras, proporcionando um potencial para o tratamento de um número de doenças inflamatórias e autoimunes, tais como diabetes tipo 2, acidente vascular cerebral, demência e artrite.

Nesse cenário, as plantas são usadas para produzir grandes quantidades de uma proteína humana chamada Interleucina 37 ou IL-37. "Esta proteína é um regulador mestre da inflamação no corpo, e foi demonstrado em modelos pré-clínicos que é eficaz no tratamento de toda uma gama de doenças", disse o Dr. Tony Jevnikar, professor da Escola de Medicina Schulich. Medicina e Odontologia na UWO e cientista do Lawson. "O rim humano produz IL-37, mas não o suficiente para sair de uma lesão inflamatória”, completa.

Este trabalho é o primeiro de seu tipo a demonstrar que esta proteína humana funcional pode ser produzida em células vegetais. "As plantas oferecem o potencial para produzir produtos farmacêuticos de uma maneira muito mais acessível do que os métodos atuais", disse Shengwu Ma, Ph.D., Professor Assistente no Departamento de Biologia (UWO) e Cientista no Lawson. "O tabaco tem alto rendimento e podemos transformar temporariamente a planta para que possamos começar a produzir a proteína de interesse dentro de duas semanas”, indica.

"Espero que este trabalho cause uma mudança na forma como as pessoas veem as plantas e espero que essa abordagem seja uma maneira de fornecer tratamentos eficazes e acessíveis aos pacientes", conclui o Dr. Jevnikar.  

Fonte: Agrolink