24/09/2020 06:53

Margens de esmagamento na China caem forte

“O estatal Sinograin voltou a demonstrar interesse pela soja dos EUA"

Os prêmios da China para a soja dos Estados Unidos e do Brasil foram estáveis, à medida que a maioria dos participantes do mercado permaneceu inativa à medida que os compradores estatais continuavam a ditar o ritmo de compra. Foi isso que afirmou a T&F Consultoria Agroeconômica.

“O estatal Sinograin voltou a demonstrar interesse pela soja dos EUA. O embarque de dezembro para soja dos EUA do Golfo foi oferecido em grande parte com embarque de janeiro em torno de 255 c/bu sobre os futuros de janeiro, mantendo 5 c/bu acima do nível negociado no dia anterior. Enquanto os preços da soja fora da PNW reduziram seu spread para os preços do Golfo dos EUA com ofertas para embarque de dezembro ganhando 5 c/bu no dia para 245 c/bu sobre os futuros de janeiro”, comenta. 

Pelo menos quatro cargas foram trocadas na costa oeste para Sinograin para embarques entre janeiro e fevereiro em 233-238 c/bu sobre os futuros de janeiro, enquanto outras fontes sugeriram que um total de seis cargas foram compradas pela Sinograin. Isso apertou ainda mais as margens de esmagamento espremidas na China com margens líquidas para os embarques de novembro-janeiro do Golfo, uma perda média de US $ 2/t. 

“O indicador APM-6 CFR China para embarque de soja brasileira caiu 3 c/bu no dia para 265 c/bu sobre os futuros de novembro, o que equivale a US$ 472,25/t, queda de US$ 3,25/t. Os futuros do farelo de soja e do óleo de soja chineses caíram pelo segundo dia consecutivo, após os futuros de soja CBOT baixarem à medida que os comerciantes continuavam a cortar posições antes do feriado. Os contratos futuros de farelo de soja mais líquidos de Dalian caíram 0,77%, para CNY3.087/t (US$ 455/mt) e os futuros de óleo de soja mais ativos caíram 3,65%, para CNY7.012/t (US$ 1.034/t)”, conclui. 

 

Fonte: Agrolink