12/08/2020 06:48

Soja: Preços firmes na maioria das praças

Estoques finais que deverão ser os maiores dos últimos 33 anos

Is allowance instantly strangers applauded

O mercado internacional se prepara para um novo relatório de Oferta e Demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que será publicado na tarde desta quarta-feira. “Ajustes de produtividade e produção final na safra dos Estados Unidos serão os pontos de maior atenção para os novos números”, aponta a Consultoria ARC Mercosul.

Os analistas acreditam em produtividades se elevando, uma vez que a grande maioria da safra no Cinturão Agrícola continua saudável: “Seguindo o modelo estatístico de correlação entre condições de safra e produtividade final, é justificável que tenhamos um aumento de 5% a 6% nos números de milho e soja – deixando o número de produção estimada da soja perto dos 118 MTs e um recorde de 400 MTs de milho agora em 2020”. 

“Além do mais, uma produção gigantesca em solo norte-americano somada a uma demanda por cereais em contração no país, resultará em estoques finais que deverão ser os maiores dos últimos 33 anos em 71 MTs. Entretanto, historicamente o USDA não traz ajustes agressivos no relatório de Agosto, deixando para Setembro e Outubro quando há mais resultados de amostras reais do campo com a colheita”, acrescenta a ARC.

Na visão da equipe da T&F Consultoria Agroeconômica, “sentimentos mistos sobre o relatório do USDA” desta quarta: “Para a temporada 2019/20, o atual ciclo de negociação americano (em breve) deve culminar com um ligeiro aumento em seus estoques finais. Para 2020/21: O mercado prevê uma revisão de alta na estimativa de produção dos EUA em relação ao mês anterior, para 116 milhões de tons. Supõe-se que a demanda não seja alterada em grande parte, portanto, isso teria um impacto de magnitude semelhante na projeção dos estoques finais, que está comprometida com um aumento de 2,7 milhões de tons e seriam 14,3 milhões de tons”.

 

Fonte: Agrolink