02/06/2020 06:49

Café: Colheita e pós-colheita influenciam qualidade

Época de maturação dos frutos é muito importante

As etapas de colheita e pós-colheita são fundamentais para garantir a qualidade e a agregação da cultura do café, segundo informou a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). De acordo com a Embrapa, a colheita do café deve iniciar-se quando as plantas apresentam de 80% a 90% dos frutos maduros e, em geral, coloração no estádio de cereja. 

No entanto, alguns fatores devem ser levados em consideração. “Além da influência da cultivar, seja da espécie arábica ou canéfora (robusta ou conilon), a época de maturação dos frutos de café também é influenciada pela temperatura (mais baixa ou mais elevada), pela face de exposição do terreno (pouco ou mais ensolarada), pelo sistema de plantio (aberto ou adensado), e ainda pela ocorrência de chuvas, especialmente, por ocasião da florada no ano agrícola”, comenta. 

“Devido a esses fatores, a colheita poderá ser realizada no período entre março/abril até setembro e, em alguns casos, prolongando-se até novembro/dezembro, sendo nos meses de junho a agosto o período em que se realiza a maior parte da colheita do café no Brasil. Uma vez iniciada a colheita, o cafeicultor deve se atentar para derriçar todos os frutos das plantas, se possível com repasse, sem quebrar ramos e arrancar folhas, pois tais danos poderão ocasionar estresse nas plantas e, consequentemente, torná-las suscetíveis ao ataque de pragas e incidência de doenças, comprometendo dessa forma futuras safras”, completa. 

Em relação à pós-colheita, o café recém-colhido deve ser limpo (abanado) para a remoção de impurezas e matérias estranhas, em seguida, é recomendável que, no mesmo dia, o café seja submetido ao processo de lavagem e separação. “No caso da via seca, os frutos - separados por lotes – devem ser encaminhados diretamente à fase de secagem, na qual são secos integralmente e dão origem aos cafés em coco ou natural”, indica. 

“Na sequência, os cafés processados, tanto por via seca quanto por via úmida, precisam passar pela etapa de secagem, a qual consiste na remoção de parte da água até atingir o teor de umidade de 10,5% a 11,5%, para que os grãos possuam condições adequadas para beneficiamento, armazenagem e comercialização”, conclui. 

Fonte: Agrolink