14/02/2020 17:34

Colheita da soja começa com boa perspectiva de produtividade em Amambai e região

Apesar da falta de chuva ter provocado o atraso no plantio, produtor deverá retirar a soja a tempo de plantar o milho de segunda safra, avalia especialista da área.

Vilson Nascimento

Apesar das incertezas geradas no início, com o retardamento do plantio por falta de chuva, fator que levou alguns produtores inclusive a terem que fazer replantios em pontos de suas lavouras, as condições climáticas se normalizaram e a expectativa é de uma boa produtividade na safra de soja 2019/2020 para Amambai e região.

Em Amambai alguns produtores já começaram a colher, mas a quantidade colhida ainda é insuficiente para se falar em média de sacas por hectare.

Lavoura de soja na região de Amambai. colheita está começando em ritmo lento por conta do plantio tardio. (Fotos: Vilson Nascimento)

Após um recorde de produtividade na safra 2017/2018, com médio de 64 sacas por hectare, na safra 2018/2019, também por condições climáticas, Amambai sofreu uma considerável redução de produtividade e fechou a colheita da soja com média de 46,6 sacas/há.

Ano a ano o município, que até uma década e meia atrás tinha a pecuária como predominância no setor agro, vem aumentando a área plantada. 

Na safra 2018/2019 a área destinada ao plantio de soja, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) foi 76 mil hectares. Para a safra 2019/2020 a área plantada com a oleaginosa passou para 86 mil hectares.

Atraso não deve comprometer safrinha

Uns dos receios dos produtores e das assistências técnicas do setor com o atraso no plantio da soja era o produtor não colher o grão a tempo de plantar o milho de segunda safra, o “milho safrinha”.

Pelo zoneamento agrícola do MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento) o prazo limite para o plantio do milho safrinha em Amambai e na região é o dia 10 de março.

O atraso no plantio da soja por contra da falta de chuva no final do ano passado, não vai comprometer de forma significativa a produtividade em Amambai, segundo profissionais do setor. 

Segundo o técnico agrícola Sérgio Costa Curta, do escritório de planejamento agrícola Agrotec, com sede em Amambai, por conta do atraso no plantio da soja devido a escassez de chuva, as assistências técnicas reivindicaram ao MAPA a prorrogação do prazo limite do zoneamento para o milho safrinha em dez dias, mas até agora não houve resposta por parte do órgão federal.

De acordo com Costa Curta, mesmo não havendo a prorrogação, caso as condições climáticas permaneçam como estão, sem chuvas por período contínuo, o produtor que já programou o plantio, vai conseguir, de forma apertada em relação ao tempo, mas plantar o milho dentro do prazo estipulado pelo zoneamento agrícola. 

Se plantar fora dos prazos estipulados pelos zoneamentos, tanto na cultura de verão como na cultura de inverno, o produtor fica sem a cobertura de seguro agrícola, em caso de perda da produção.

Fonte: A Gazetanews