21/10/2019 07:55

Mercado do milho permanece incerto

“O mercado foi apoiado por preocupações sobre uma tempestade de neve no norte dos EUA"

O mercado do milho, principalmente nos Estados Unidos, ainda permanece incerto, segundo análise do especialista Luiz Fernando Pacheco, analista da T&F Consultoria Agroeconômica. De acordo com ele, um possível acordo entre os Estados Unidos e a China e as nevascas ocorrendo em solo norte-americano podem fazer os preços subirem, mas o relatório divulgado pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) pode baixar esses valores. 

“O mercado foi apoiado por preocupações sobre uma tempestade de neve no norte dos EUA, pois vai atrasar a colheita que já está abaixo do normal. E a tempestade veio e estendeu para além do Cinturão de Milho do que alguns esperavam e parou a colheita em algumas áreas. Mas, as previsões mostraram tempo melhor nesta semana”, indica. 

Em relação às negociações entre os EUA e a China, é possível dizer que elas terminaram em um acordo comercial parcial envolvendo a venda de produtos agrícolas dos EUA também forneceram sustento. “Naturalmente, a incerteza sobre a assinatura do mesmo pôs panos frios nas expectativas”, indica. 

“O grande golpe descendente foi desferido pelo Departamento de Agricultura dos EUA-USDA, aumentando sua estimativa de rendimentos de milho dos EUA, resultando em estoques finais mais elevados do que o esperado pelo mercado. Isso gerou a queda profunda que podemos ver no gráfico de Chicago abaixo. Tudo permanece incerto, devido ao número final de produção e pela assinatura do acordo com a China. O habitual. Nossa recomendação, então, é cobrir-se nos mercados futuros para a fixação de preços e no mercado externo para a fixação de prêmios.”, completa. 

Fonte: Agrolink