11/02/2019 08:04

Ministra da Agricultura lança duas tecnologias da Embrapa

A ministra da Agricultura Tereza Cristina, o presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, o presidente da Coopavel, Dilvo Grolli, e o chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias participaram da solenidade de lançamento de tecnologias da Embrapa, neste dia 8 de fevereiro, no Show Rural Coopavel, em Cascavel (PR). Foram lançados o Fast-K, método de avaliação nutricional para soja e a cultivar de feijão BRS FP403.

Durante a solenidade, o presidente da Embrapa, Sebastião Barbosa, destacou que a Empresa trouxe para o Show Rural os resultados mais recentes da pesquisa para fortalecer a agricultura brasileira. “Estamos fazendo um esforço ainda maior de aproximação com os produtores brasileiros”, enfatizou. “Sob orientação da ministra da Agricultura, a Embrapa está buscando atender ainda mais as necessidades do mercado, de forma ágil, porque em time que está ganhando a gente mexe sim, para continuar ganhando”.

Barbosa ressaltou que o Brasil é um player muito importante na agricultura mundial e está “assustando” os competidores. “Temos produtividades muito altas no Brasil e a Embrapa, junto com seus parceiros, teve, tem e sempre terá participação neste esforço de continuarmos desenvolvendo novas tecnologias que atendam às necessidades do agricultor”, reforçou.

Para a ministra da Agricultura, a Embrapa é muito elogiada e querida por todos os brasileiros. “A minha intenção, como ministra da Agricultura, é ajudar a Embrapa a ser melhor, a ser mais ágil. Queremos dar oportunidade para que a Embrapa continue fazendo um trabalho maravilhoso e de vanguarda”, disse.

Tereza Cristina entende que o mundo tem os olhos voltados para o agronegócio brasileiro, tanto que o País sofre ataques comerciais, algumas vezes, ditos sanitários ou alfandegários. “O agronegócio brasileiro incomoda sim, por isso, vamos ter cada vez mais restrições relacionadas ao meio ambiente, ao uso de agrotóxicos, entre outros. Neste contexto, o Brasil precisa da Embrapa, de uma Embrapa moderna, que esteja pensando à frente, como sempre esteve”, concluiu.

História de sucesso – Em seu discurso, o chefe-geral da Embrapa Soja, José Renato Bouças Farias, lembrou que há 31 anos, a Embrapa participa do Show Rural, um dos maiores eventos técnicos da agropecuária na América Latina. “No Show Rural é possível apresentar nossas soluções tecnológicas para técnicos e produtores, interagir com parceiros e prospectar demandas e oportunidades de trabalho”, destacou Farias. O chefe-geral considera tão importante o evento que, todos os anos a Embrapa faz lançamentos no Show Rural para que os visitantes conheçam em primeira mão as novidades da pesquisa. Em 2019, foram lançados o Fast-K, método de avaliação nutricional para soja, e a cultivar de feijão BRS FP403.

Lançamentos

Fast-K
O potássio (K) é o segundo nutriente mais exigido pela cultura da soja. Em média, a planta exporta 20 kg/ha de K2O para cada tonelada de grãos produzidos. Quando os produtores não reaplicam as quantidades de potássio compatíveis com as exportadas pode haver redução da disponibilidade de K no solo. Para auxiliar a tomada de decisão a campo, a Embrapa desenvolveu o Fast-K um método rápido para a avaliação do teor de K nas folhas de soja, de fácil utilização e interpretação.

A proposta do Fast-K é melhorar o manejo nutricional da soja, a partir da adoção da metodologia que utiliza um medidor portátil para ler e interpretar os resultados, dispensando a diagnose tradicionalmente feita por técnicas laboratoriais. “Ao realizar o teste foliar no campo, a assistência técnica ganha tempo para tomar as decisões mais acertadas em relação à correção da deficiência de potássio ainda na safra em curso, uma vez que o potássio tem influência direta na produtividade”, destaca pesquisador Adilson de Oliveira Jr., da Embrapa Soja.

Feijão BRS FP403
É uma cultivar com alto rendimento, potencial de 4,7 mil quilos por hectare. Apresenta ciclo normal de crescimento (85-95 dias) e é recomendada para cultivo em 19 estados brasileiros. A BRS FP403 tem uma boa arquitetura de raizes com sistema radicular bastante vigoroso e tolerante a murcha de fusarium e Podridão-radicular-seca. Os seus grãos são graúdos com alta qualidade industrial. Possui plantas com porte semi prostrado e inserção de vagens altas em relação ao solo proporcionando adaptação à colheita mecânica direta.

A BRS FP403 tem uma boa arquitetura de raízes com sistema radicular bastante vigoroso e tolerante a murcha de fusarium e Podridão-radicular-seca. Os seus grãos são graúdos com alta qualidade industrial. Possui plantas com porte semi prostrado e inserção de vagens altas em relação ao solo proporcionando adaptação à colheita mecânica direta. 

Fonte: Ministério da Agricultura