09/02/2019 07:02

Pecuaristas discutem soluções para a atividade leiteira

Em Serafina Corrêa, a bovinocultura de leite é uma atividade tradicional e de grande importância econômica e social

Em Serafina Corrêa, a bovinocultura de leite é uma atividade tradicional e de grande importância econômica e social, sendo realizada comercialmente por aproximadamente 70% das famílias no município. Entretanto, o cenário da atividade vem desanimando algumas famílias, que têm dificuldades em se manter e obter renda com a produção de leite.

Nesta quinta-feira (07/02), um grupo formado por representantes de 20 famílias participantes do Programa Gestão Sustentável da Agricultura Familiar, esteve reunido com a Emater/RS-Ascar, que é a executora do Programa, para discutir possíveis soluções para a bovinocultura de leite nas propriedades. Inicialmente, o engenheiro agrônomo Leandro Ebert, da Emater/RS-Ascar, discorreu sobre o tema: "Como melhorar a renda do leite?". Ebert apresentou uma análise de dados econômicos obtidos com as famílias participantes. De acordo com ele, os dados demonstram que as propriedades que possuem os menores custos de produção por litro de leite alcançam maior renda agrícola por área, o que indica que se deve buscar diminuir os custos de produção para obter melhoria da renda com a produção de leite.

O agrônomo também apresentou estratégias para diminuir os custos de produção e elevar a produção de leite, como a intensificação do uso de pastagens e a melhoria no manejo da alimentação dos rebanhos. Essas medidas podem melhorar as receitas das propriedades ao aumentar a produção de leite e diminuir custos ao utilizar um alimento mais barato, como é o caso das pastagens.

Também foram apresentadas experiências de sucesso na atividade de famílias que, intensificando a produção de leite e voltando a produção para maior uso de pastagens, diminuíram os custos de produção do produto. Um exemplo é a família Silvestrin, Unidade de Referência do Programa de Gestão em Serafina Corrêa, que multiplicou a renda agrícola obtida com o leite entre os anos de 2016/2017 e 2017/2018, passando de R$ 430,00 por mês para R$ 4.800,00 mensais. Ao aumentar a produtividade por área em 52% e diminuir os custos por litro de leite de R$ 1,11 para R$ 0,81, foi possível conseguir esse aumento nos lucros.

Finalizando o encontro, os bovinocultores combinaram os próximos passos para melhorar os resultados em suas propriedades com o auxílio da Extensão Rural e Social, como a formação de um grupo de trabalho em bovinocultura de leite no município, com a orientação individual e coletiva da Emater/RS-Ascar. Além disso, haverá um controle de indicadores mensais da atividade através de um aplicativo específico para isto e a realização de novos encontros para capacitação dos pecuaristas. 

Fonte: Agrolink