23/01/2020 18:14

Agesul atende comunidade indígena e implanta quebra-molas na MS-289 em Coronel Sapucaia

Três redutores de velocidade foram implantados nessa quinta-feira (23) e outros dois serão colocados no início da semana, diz órgão estadual.

Vilson Nascimento

O Governo do Estado, por meio da Agesul (Agência Estadual de Gestão de Empreendimentos) atendeu a reivindicação da comunidade da aldeia Taquaperi, em Coronel Sapucaia e implantou, nessa quinta-feira, 23 de janeiro, três redutores de velocidade tipo quebra-molas na Rodovia MS-289, que liga as cidades de Coronel Sapucaia a Amambai, no trecho que corta a reserva indígena.

Equipe da Agesul trabalhando na implantação dos quebra-molas na MS-289, trecho que corta a aldeia Taquaperi, em Coronel Sapucaia. Três já foram construídos e mais dois serão implantados na semana que vem, segundo o órgão estadual. (Fotos: Cedidas pela Agesul)

Os quatro quebra-molas existentes no trecho  de aproximadamente três quilômetros da rodovia estadual que corta a aldeia, haviam sido retirados no final do ano passado por conta da restauração da pavimentação asfáltica da pista.

Sem os quebra-molas, segundo a comunidade indígena, os veículos que trafegavam cotidianamente pela MS-289, acabavam cruzando o trecho no interior da aldeia em alta velocidade, colocando em risco a segurança dos moradores, fator que resultou, de acordo com os indígenas, em acidentes, inclusive com vítima fatal.

No decorrer da semana lideranças da reserva indígena anunciaram, por meio de oficio enviado as autoridades, a realização de um manifesto nessa quinta-feira (23), inclusive com bloqueio da pista, visando chamar a atenção da sociedade em geral, para o problema.

Procurado pela reportagem do grupo A Gazeta nessa quarta-feira (22), o gerente da 11ª Regional da Agesul, com sede em Amambai, engenheiro Adeilton de Matos Araújo Ferreira, havia informado que os quebra-molas seriam reimplantados na MS-289, no trecho que corta a aldeia Taquaperi. Parte desses já nessa quinta-feira, dia 23.

A rodovia chegou a ser bloqueada nessa quinta (23) pela manhã, mas foi liberada após o gerente da Agesul, em Amambai, engenheiro Adeilton de Matos Araújo Ferreira, anunciar in loco, que o pedido da comunidade seria atendido.

Mesmo com o anúncio por parte do órgão estadual, os indígenas mantiveram o manifesto e na manhã dessa quinta-feira, bloquearam o tráfego na rodovia estadual.

Após o engenheiro Adeilton de Matos manter contato, in loco, com os líderes do manifesto e reiterar que a solicitação da comunidade seria atendida, os indígenas desbloquearam a pista.

Segundo Adeilton de Matos, a comunidade indígena reivindicou a implantação de cinco quebra-molas na MS-289 ao logo da aldeia Taquaperi. Três deles foram implantados já nessa quinta-feira (23) e os dois restantes serão construídos no início da próxima semana.

A PMRv (Polícia Militar Rodoviária Estadual) da base operacional de Amambai acompanhou a Agesul durante o contato com os manifestantes e no ato de implantação dos quebra-molas.

Fonte: A Gazetanews