23/05/2022 12:02

Doria desiste de pré-candidatura à Presidência “com o coração ferido e a alma leve”

Ex-governador paulista reconheceu não ser "a escolha da cúpula do PSDB" em pronunciamento nesta segunda-feira (23)

Quase dois meses após renunciar ao governo de São Paulo para ser o pré-candidato do PSDB à Presidência da República, João Doria anunciou nesta segunda-feira (23) sua desistência em participar da corrida eleitoral.

“Me retiro da disputa com o coração ferido, mas a alma leve”, disse. Em sua fala, ele admitiu não ser “a escolha da cúpula do PSDB”, e disse estar nas mãos do partido a decisão sobre a candidatura tucano para o Planalto.

Rodeado por integrantes do partido, como o presidente nacional do PSDB, Bruno Araújo, o coordenador-geral de campanha, Marco Vinholi, e sua esposa, Bia Doria, o ex-governador se emocionou e foi às lágrimas ao final de seu discurso.

“Sou um homem que respeita o bom senso, o diálogo e o equilíbrio. Sempre busquei e seguirei buscando o consenso, mesmo que ele seja contrário à minha vontade pessoal”, disse.

Doria vinha enfrentado resistências internas no PSDB e sendo pressionado a desistir da disputa devido às dificuldades em decolar nas pesquisas de intenção de voto e à alta taxa de rejeição entre o eleitorado.

O tucano fez questão de destacar em seu discurso que venceu todas as prévias do partido, desde que entrou para a política, em 2016. Ele foi vencedor nas disputas para a Prefeitura de São Paulo, do governo do estado e, por último, para a disputa à Presidência.

“Saio com o sentimento de gratidão e a certeza de que tudo o que fiz foi em benefício de um ideal coletivo, em favor dos paulistanos, dos paulistas e dos brasileiros”, disse.

Doria destacou ainda sua atuação durante a pandemia, citando o empenho na aquisição e produção de vacinas contra a Covid-19.

“Procurei fazer o certo, salvamos vidas e salvamos a economia. São Paulo cresceu cinco vezes mais do que o Brasil na pandemia, gerando um terço de todos os novos empregos gerados no país”, disse. “Vencemos com a ciência os discursos do ódio, das fake news e do negacionismo”, completou.

Ao final, Doria deixou em aberto se seguirá na vida pública.

“Saio como entrei na política: repleto de ideais, com a alma cheia de esperança e o coração pulsante”, disse.

“Seguirei como observador sereno do meu País. Sempre à disposição de lutar a guerra para a qual eu for chamado. Na vida pública ou na vida privada”, concluiu.

 

Fonte: CNN BRASIL