21/05/2020 18:32

Polícia localiza em Coronel Sapucaia, menina desaparecida há dois anos em Santa Catarina

Mãe da criança hoje com 8 anos, uma mulher de 30 anos, que estava com mandado de prisão em aberto por subtração de incapaz, foi presa.

Vilson Nascimento

A Polícia Civil com apoio da Polícia Militar local, em ação de cooperação com a polícia catarinense, localizou e resgatou, nessa quinta-feira, 21 de maio, em Coronel Sapucaia, fronteira com o Paraguai, uma menina, hoje com 8 anos, que era dada como desaparecida há dois anos em Santa Catarina.

A mãe da garota, uma mulher de 30 anos, acusada de raptar a própria filha, estava com a prisão preventiva decretada pela justiça catarinense sob acusação de subtração de incapaz, acabou presa.

O caso

De acordo com a imprensa catarinense, após terminar o relacionamento com o marido em Joinville, onde o casal residia, a justiça teria determinado a guarda compartilhada da menina, na época com seis anos.

Segundo o delegado que coordenou a ação que localizou a criança em Coronel Sapucaia, Dr. Marcos Werneck, ao ser presa a mulher não disse o porquê escolheu a cidade da fronteira com o Paraguai para se esconder com a filha. (Fotos: Vilson Nascimento)

Pela decisão judicial uma semana a garota deveria permanecer com a mãe e uma semana com o pai.

Em uma quarta-feira, no mês de maio de 2018, após vencer sua semana de ficar com a filha, o pai teria deixado a menina na escola para a mãe pegar ao final da aula como era de costume.

Acontece que na sexta-feira seguinte o pai teria recebido uma ligação da instituição de ensino indagando o porquê de a criança não estar mais indo à escola.

De acordo com relatos do homem à imprensa de Santa Cataria, a mulher teria premeditado a fuga com a filha. Ela teria inclusive alugado o apartamento que morava e vendido o carro antes de desaparecer com a criança.

Procurado pela reportagem do grupo A Gazeta, o delegado titular de Polícia Civil em Coronel Sapucaia, Dr. Marcos Werneck, que coordenou a ação que localizou a menina, ao ser presa a mãe da garota teria relatado que estaria morando em Coronel Sapucaia desde 2018, o período que fugiu de Santa Catarina.

Dr. Marcos Werneck informou também que a mulher não tem familiares sanguíneos em Coronel Sapucaia e ao ser presa não disso o porquê escolheu a cidade de fronteira com o Paraguai para se esconder com a filha.

De acordo com a Polícia Civil, depois de presa a mulher permaneceu sob custódia da polícia e a menina foi atendida pelo Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente de Coronel Sapucaia para serem adotadas as medidas cabíveis.

Segundo a imprensa de Santa Cataria, depois de a mãe fugir com a filha, a justiça catarinense substituiu a guarda compartilhada para guarda definitiva em favor do pai.

Fonte: A Gazetanews