11/09/2019 01:20

Testemunha de assassinato é morto a tiros em Amambai

Wilian Gomes, de 41 anos, foi alvejado por pelo menos três disparos de arma calibre 9mm. Autor fugiu em Gol de cor branca.

A vítima fatal, Wilian Manrubia Gomes, de 41 anos. Ele morreu no hospital após ser alvejado por disparos de arma de fogo na noite dessa terça-feira (10) em Amambai. (Foto: Divulgação)

Vilson Nascimento

A Polícia Civil está investigando o assassinato de um homem de 41 anos, crime ocorrido na noite dessa terça-feira, 10 setembro, em uma região de quitinetes, nas proximidades da unidade local da UEMS (Universidade Estadual de Mato Grosso do Sul), em Amambai.

Segundo a ocorrência policial, o médico que atendeu a vítima em uma unidade de saúde relatou que Wilian Manrubia Gomes foi atingido por três disparos de arma de fogo, um na perna esquerda, um na região do dorso superior esquerdo e outro no flanco inferior direito, ou seja, região da barriga.

Segundo o Corpo de Bombeiros de Amambai, que prestou socorro à vítima, "Nicolau", como também era conhecido entre os amigos, chegou a ser socorrido com vida, mas morreu ao dar entrada no Pronto Socorro do Hospital Regional de Amambai.

De acordo com a Polícia Civil, no local do atentando contra Wilian foram encontradas quatro capsulas deflagradas de munição calibre 9 milímetros, mas testemunhas teriam relatado que teriam sido efetuados pelo menos cinco disparos.

Segundo a Polícia Civil, o autor do assassinato, de acordo com informações de testemunhas e imagens de câmeras de segurança localizadas na região, foi um indivíduo de estatura baixa, trajando camiseta vermelha e boné branco, que fugiu do local do crime a pé e mais adiante embarcou em um Gol de cor branca, tomando rumo ignorado em alta velocidade.

Vítima era testemunha de homicídio, diz polícia

Segundo relatou a polícia no boletim de ocorrência, Wilian Manrubia Gomes, que em 2008 teria sido candidato a vereador na cidade de Maracaju, figurava como testemunha de um assassinato ocorrido no ano passado, em Amambai.

Ele teria sido testemunha, segundo a polícia, do assassinato do pecuarista Luiz Carlos Gregol, o “Tatá”, também de 41 anos, crime ocorrido em novembro de 2018 na região central da cidade. Relembre o caso clicando AQUI

 

Fonte: A Gazetanews