17/06/2019 22:50

Desafio por status motivou onda de pichações em Amambai, diz polícia

Do meio ao final de semana passado vários prédios públicos e privados e até um ônibus pertencente a uma igreja evangélica foram alvos dos pichadores.

Momento que um dos acusados pichava o ônibus da igreja evangélica Assembleia de Deus Missões, na semana passada. (Fotos: PC cedidas ao A Gazetanews)

Vilson Nascimento

Um desafio por pontos entre praticantes de skate e simpatizantes ao tema levou a onda de pichação registrada nos últimos dias na cidade, em Amambai, segundo a polícia.

Do meio da semana até o final de semana passado Amambai viveu uma onda de pichações. Vários prédios públicos pertencentes ao município e ao Estado, além de prédios privados e até um ônibus pertencente à igreja evangélica Assembleia de Deus Missões, foi alvo dos pichadores.

De acordo com a equipe de investigação da Delegacia Regional da Polícia Civil de Ponta Porã, que atuou em apoio à Delegacia de Amambai no caso três pessoas foram detidas sob acusação de envolvimento nos atos de vandalismo e nos celulares dos detidos foi encontrado vasto material, inclusive com fotos, áudios trocados e vídeos mostrando os pichadores em ação em vários pontos da cidade.

Em um dos áudios um dos integrantes do grupo fala com preocupação sobre a repercussão da pichação no prédio em fase final do Centro de Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar, o “Mercado Municipal”.

Momento que um dos pichadores pichava o muro da subestação da luz, segundo a polícia.

Em diligências durante o trabalho de investigação os policiais apreenderam na casa de um dos acusados, vasilhas de tinta spray, supostamente usados para praticar as pichações e até um caderno com modelos de traços/figuras, os mesmos encontrados nos locais pichados.

De acordo com o delegado regional adjunto, Dr. Mikaill Alessandro Gouveia Faria, os três indivíduos detidos, Gabriel Lhopi de Souza, de 19 anos, que segundo a policia era quem comprava o material para pichação, Renan Fernandes Campos, também de 19 anos, que teria sido o responsável pela pichação no Detran e inclusive pelo ato de vandalismo onde funcionará o Mercado Municipal, e um adolescente de 17 anos, serão indiciados pelos crimes de pichação e por dano ao patrimônio público.

Segundo a Polícia Civil outras pessoas que fazem parte do mesmo grupo, cujas identidades ainda estão sendo levantadas, também deverão responder pelos mesmos crimes.

Pichador pichando muro de residência na Vila Pimentel.

O crime de pichação, previsto no artigo 65 da lei que trata sobre crimes ambientais prevê, em caso de condenação, uma pena que varia de 3 (três) meses a 1 (um) ano de detenção, mais o pagamento de multa.

Já o crime de dano ao patrimônio público, previsto no artigo 163, inciso III do Código Penal Brasileiro, prevê pena de 3 meses a 3 anos de detenção, mais o pagamento de multa.

A competição

Segundo a Polícia Civil as investigações levantaram que a iniciativa das pichações surgiu por meio de um grupo de skatistas que se reuniram em uma pista situada ao lado do Ginásio de Esportes para praticar manobras.

Esse caderno que desenhos semelhantes aos das pichações foi encontrado de posse de um dos acusados, segundo a polícia.

Os primeiros traços, que inclusive ajudaram a polícia a ligar os skatistas a onda de pichação na cidade, foram feitos na própria pista de skate.

De acordo com a polícia os acusados não faziam as pichações com o simples objetivo de danificar o patrimônio público ou privado, mas sim como uma espécie de desafio por pontos e demonstração de poder.

Quanto maior o grau de dificuldade e o risco de ser pego praticando a pichação, mais o pichador ganhava pontos e se tornava mais respeitado dentro do grupo.

Tubos de tinta spray, segundo a polícia, encontrados na casa de um os suspeitos.

Operação também desvendou esquema de drogas

Durante as investigações dos casos de pichações, a Polícia Civil prendeu, no final da tarde do domingo, dia 16 de junho, um indivíduo acusado de vender drogas, principalmente para menores de idade, na região da pista de skate em Amambai.

De acordo com a Polícia Civil no carro do indivíduo, um Kadet, os policiais encontraram porções de maconha já prontas para serem repassadas aos usuários.

No carro de um indivíduo abordado nas proximidades do ginásio de esportes a Polícia Civil apreendeu porções de maconha. Droga era vendida para menores na pista de skate, diz polícia.

Abaixo fotos de locais pichados pelo grupo, segundo a polícia

Fonte: A Gazetanews