15/05/2019 16:53

Comerciante é agredido por marginais durante assalto em Amambai

Em outra ação ladrões entraram em quintal de residência e levaram mais de R$ 970,00 em objetos.

Vilson Nascimento

Um comerciante de 65 anos passou por momentos de angustia nas mãos de assaltantes na noite dessa terça-feira, 14 de maio, em Amambai.

O assalto no Pesque Pague do Nelito, situado as margens do Rio Panduí, a cinco quilômetros da cidade, na Rodovia MS-156, trecho que liga Amambai a Caarapó, aconteceu por volta das 19h.

Segundo consta na ocorrência policial, a vítima havia acabado de abrir o restaurante existente no local quando chegaram três indivíduos usado capuz, mas segundo a polícia pelas características físicas foi possível identificar como sendo indígenas e armados com uma faca, anunciaram o assalto.

Agindo com violência e ameaças, os criminosos derrubaram e imobilizaram o comerciante que sofreu lesões e só não foi morto por implorar pela própria vida, segundo consta na ocorrência policial, posteriormente fugiram levando R$ 312,00 em dinheiro que estava no caixa do restaurante e dois telefones celulares marca Samsung, um com o número (67) 99761397 e outro de número (67) 998717412.

O mesmo estabelecimento comercial, que faz fundo com a aldeia Amambai, a maior reserva indígena do Cone Sul do Estado, com cerca de 9 mil moradores, já foi alvo de ladrões por várias vezes, mas em ações de furto e a maioria deles a polícia não conseguiu solucionar. Essa foi a primeira vez que ocorreu um assalto à mão armada no local.

Outro caso

Em outra ocorrência registrada nessa quarta-feira, dia 15 de maio, uma mulher de 46 anos denunciou ter sido vítima de ladrões, em Amambai.

Segundo a mulher, se aproveitando de sua ausência, que havia saído para trabalhar, ladrões pularam o muro de sua residência na manhã dessa quarta-feira (15) e furtaram vários objetos, entre eles dois pares de chinelo, um facão, um cerrote e uma mochila de costa na cor preta, além de uma bicicleta que a vítima havia comprada via internet.

Segundo a vítima, que afirmou ter tido um prejuízo superior a R$ 970,00 com a ação criminosa, ela percebeu o furto após as 11h da manhã, quando retornou do trabalho. A Polícia Civil investiga os dois casos.

Reportagem exclusiva do A Gazetanews. Proibida a reprodução total ou parcial sem que sejam citadas as fontes (veículo e repórter).

Fonte: A Gazetanews