05/03/2020 09:07

Ser mulher em 2020: a motivação em manter uma vida saudável

Na semana da mulher paramos para uma reflexão com relação aos desafios que mulheres, de todas as idades, classes sociais e nacionalidades vêm enfrentando nos últimos anos. 

É possível perceber que tem surgido um novo perfil de mulher. Era comum, em 1990, você conhecer alguém que a avó consertava as roupas ou fazia as comidas prediletas, ela sempre estava em casa. Hoje em dia, as avós se encontram nas academias tranquilamente e ainda consertam as roupas e fazem as comidas prediletas dos filhos e netos em meio a tantas obrigações da casa e dos cuidados com a família. 

As mulheres entre 20 e 40 anos estão investindo em profissões que antes eram de domínio masculino e cada vez mais se destacando profissionalmente. Um estudo realizado pelo Sebrae em 2019 aponta que no estado de Mato Grosso do Sul, 38% dos empreendimentos são de propriedade de mulheres. Além do fato de muitas mulheres estarem atuando como autônomas para conciliarem o trabalho aos cuidados com os filhos. 

Todas estas transformações percebidas no meio econômico feminino ainda são reforçadas pelo empoderamento da mulher com o seu lado pessoal. A busca por um corpo magro atrelado a um estilo de vida saudável desenvolve diferentes áreas da vida de uma pessoa, e nestas mulheres são percebidas algumas melhorias que vão além da autoestima, como maior motivação no trabalho, nos estudos entre outros. 

Um indivíduo motivado, segundo Chiavenato (2002), é capaz de atingir diversos resultados positivos no trabalho, quando na compensação dos seus esforços. Um benefício social, uma promoção ou a aceitação no grupo são alguns fatores compensatórios que podem motivar o individuo. E recentemente Griffin e Moorhead (2015) escarearam que a motivação é representada pelo engajamento das pessoas, por meio da combinação de emoções, reconhecimento e benefícios. 

A motivação pode partir da tomada de uma decisão e, segundo a Teoria da Expectativa, se mantém por meio de esforço, desempenho e resultados. Iniciar uma dieta para perder peso e demorar a ver o resultado pode ser o ponto que corta a corrente e te faça parar, mas dificilmente os resultados serão percebidos sem antes a decisão estar bem fixada na sua mente e um tempo de dedicação e esforços. 

Espelhar-se nos resultados de outra pessoa pode ser o start para a sua tomada de decisão, mas não se prenda a este fato por muito tempo, pois comparar os resultados sem conhecer os esforços te fará acreditar que você não esta obtendo conquistas e isso te fará desistir. 

A motivação precisa ser uma relação individual, embora ganhos vindos de terceiros, como elogios, por exemplo, possam ser compensatórios, lembre-se que os resultados só virão com a sua dedicação e seus esforços. Essa luta é pessoal.

A suplementação esportiva vem entendendo o comportamento das mulheres no campo do esporte e inovando seus produtos, garantindo que, além do suporte nutricional, as mulheres se sintam importantes e inseridas nas marcas. Produtos como proteínas e termogênicos específicos para a saúde da mulher ganham cada vez mais espaço nas prateleiras. 

A demanda principal é uma vida mais saudável e, pensando nisso, a nossa motivação é estar a frente do nosso tempo. E você, o que te motiva? Quais estratégias você usa para continuar se esforçando e se dedicando pelos seus objetivos? 

Venha interagir com a nossa equipe nas redes sociais, @essenciafitsuplementos

Ana Paula Dalmagro Delai é Empreendedora, Especialista em Indicadores de Desempenho, Sócia na Essência Fit Suplementos de Amambai-MS e Professora de Gestão de Negócios e Agronegócio. Foto: Divulgação 

Referências Bibliográficas: 

CHIAVENATO, I. - Recursos Humanos / Idalberto Chiavenato. – Ed. Compacta, 7.ed. – São Paulo : Atlas, 2002. p. 79-195.

GRIFFIN, R. W.; MOORHEAD, G. – Comportamento organizacional : gestão de pessoas e organizações / Rickey W. Griffin, Gregory Moorhead ; revisão técnica Cecília Whitaker Bergamini ; [tradução Noveritis do Brasil]. – São Paulo : Cengage Learning, 2015. p. 89-171

ROBBINS, S. P.; JUDGE, T. A. Fundamentos do comportamento organizacional. – 12ª ed. – São Paulo. Pearson Education do Brasil, 2014. p. 133-184.

Sebrae,(2019)https://www.sebrae.com.br/Sebrae/Portal Sebrae/UFs/GO/Sebrae de A a Z/Empreendedorismo Feminino no Brasil 2019_v5.pdf

SILVA, J. A. G. -Remuneração como fator motivacional: tem razão a teoria da expectativa, 2013. Disponível em . Acesso em 12 dez. 2016

Fonte: Ana Paula Dalmagro Delai