12/04/2019 06:11

É fácil entrar no Reino de Deus? - Por Eloir Vieira

“E Jesus lhe disse: Ninguém que lança mão do arado e olha para trás é apto para o Reino de Deus” (Lc 9.62).

Is allowance instantly strangers applauded


Nessa ilustração, veja que quem está com a mão no arado, se olhar para trás, o arado sai da posição certa. Portanto, não pode se distrair. Reino é um país governado por um rei ou rainha, no sistema monarquia. O chefe do governo não é escolhido pelo povo como num país democrático. Na monarquia o poder é transferido de pai para filho. O sistema de governo de Deus é assim: O Reino de Deus é governado pelo Rei Jesus Cristo.

 

O Reino de Deus na terra é representado pela igreja de Cristo. Cada membro da igreja é participante do Reino que hoje é espiritual, mas um dia será literal: “Bem-aventurado e santo aquele que tem parte na primeira ressurreição; sobre estes não tem poder a segunda morte, mas serão sacerdotes de Deus e de Cristo e reinarão com ele mil anos” (Ap. 20.6). A primeira ressurreição será no arrebatamento da igreja (1ªCo 15.52,53; 1ªTs 4.16,17). A segunda morte é o lago de fogo: “E a morte e o inferno foram lançados no lago de fogo. Esta é a segunda morte” (Ap 20.14).

 

Para entrar no Reino de Deus, a pessoa precisa se alistar (se batizar); mudar as vestes (se converter). Um cidadão do Reino de Deus (seguidor de Jesus) precisa ter Deus e sua justiça em primeiro lugar na sua vida; e amar o próximo como a si mesmo. Tem que renunciar às coisas terrenas e focar nas que são do alto: “Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lc 14.33). Por isso, cada discípulo precisa carregar a sua cruz: “E qualquer que não levar a sua cruz e não vier após mim não pode ser meu discípulo” (Lc 14.27).

 

Ao decidir ser um discípulo de Cristo, precisa estar disposto a deixar tudo pelo Reino: “Assim, pois, qualquer de vós que não renuncia a tudo quanto tem não pode ser meu discípulo” (Lc 14.33); até a família fica em segundo plano; em primeiro está Deus e suas ordens: “Quem ama o pai ou a mãe mais do que a mim não é digno de mim; e quem ama o filho ou a filha mais do que a mim não é digno de mim” (Mt 10.37). Colocando o Reino de Deus em primeiro lugar, certamente aborrecerá os familiares; a escolha é do discípulo: “Se alguém vier a mim e não aborrecer a seu pai, e mãe, e mulher, e filhos, e irmãos, e irmãs, e ainda também a sua própria vida, não pode ser meu discípulo” (Lc 14.26).

 

Por essa razão, disse Jesus: “Não cuideis que vim trazer paz à terra; não vim trazer paz, mas espada; porque eu vim por em dissensão o homem contra seu pai, e a filha contra sua mãe, e a nora contra sua sogra. E, assim, os inimigos do homem serão os seus familiares” (Mt 10.34-36). A salvação é de graça; mas entrar no Reino de Deus tem um preço: “A lei e os profetas duraram até João; desde então, é anunciado o Reino de Deus, e todo homem emprega força para entrar nele” (Lc 16.16). A escolha é nossa. Qual é a sua escolha?

Fonte: Eloir Vieira