04/08/2022 13:01

Urna eletrônica é 'referência' para o continente, diz chefe de missão internacional que acompanhará as eleições

União Interamericana de Organismos Eleitorais assinou acordo com o TSE na terça (2) e será uma das entidades observadoras das eleições. Urnas têm sido alvo de ataques infundados do presidente Jair Bolsonaro.

Is allowance instantly strangers applauded

O chefe da missão da União Interamericana de Organismos Eleitorais (Uniore), Lorenzo Córdova, afirmou nesta quarta-feira (3) que a urna eletrônica brasileira é uma “referência” para os países do continente americano.

A Uniore assinou um acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na terça (2) e será uma das entidades internacionais que vão acompanhar o processo eleitoral no Brasil.

As urnas vêm sofrendo ataques sem provas e infundados do presidente Jair Bolsonaro. Nos últimos meses, ele tem insistido em levantar suspeitas, já desmentidas por autoridades, sobre o sistema eleitoral brasileiro e o mecanismo de apuração. Em resposta a Bolsonaro, políticos e sociedade civil saíram em defesa das urnas e da democracia.

Na avaliação de Córdova, que falou com jornalistas em Brasília, as urnas têm contribuído para a estabilidade democrática no Brasil.

“A urna eletrônica tem sido um ponto de referência para todo o continente. Sabemos que há questionamentos e estamos aqui para escutar todas as partes, para entender as fontes dos questionamentos”, afirmou Córdova.

Ele explicou que o objetivo da missão é observar a atuação das autoridades eleitorais brasileiras e contribuir para uma eleição democrática.

“A ideia desta missão é escutar todas as vozes, escutar os questionamentos que se fazem sobre a realização do processo, contribuir com a transparência, com elementos adicionais para a construção de uma eleição que cumpra os padrões de integridade eleitoral e, sobretudo, os princípios e valores democráticos”, declarou.

Fonte: G 1