24/07/2020 16:57

Projeto Municípios Prato Cheio é lançado pela Confederação e parceiros

Is allowance instantly strangers applauded

Criar um fundo financeiro para a compra e a distribuição de itens essenciais, como alimentos e produtos de limpeza e higiene. Esse é o objetivo do projeto Municípios Prato Cheio para o Desenvolvimento, lançado nesta sexta-feira, 17 de julho, durante uma transmissão on-line nas plataformas digitais da Confederação Nacional de Municípios (CNM).

A iniciativa conta com o apoio do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e a parceria com a Associação Nacional dos Membros do Ministério Público (Conamp), a Associação os Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), a Fundação Banco do Brasil (FBB), a Confederação das Associações Comerciais do Brasil (CACB) e a Fundação Hermann Hering.

Primeiro a falar sobre a iniciativa, o presidente da CNM, Glademir Aroldi, agradeceu a participação das entidades parceiras em nome do movimento municipalista, especialmente dos Municípios brasileiros, que enfrentam grandes desafios neste momento atual.

"É muito bom ter parceiros tão importantes nessa empreitada”.

Ele explicou que o projeto nasceu da sugestão da diretoria e do Conselho Político da CNM e foi fortalecido e aprovado pelos gestores de todo o país durante assembleia virtual realizada pela entidade, mostrando a relevância e a necessidade da iniciativa.

"O projeto tem alguns 17072020 Aroldi CNMcritérios e esperamos poder atender o maior número de Municípios possível. Já temos recursos disponibilizados para atender um número significativo de famílias, cerca de cem a 200 mil famílias”, disse.

Em seguida, o diretor técnico do Sebrae, Bruno Quick, reforçou a importância da parceria.

“Essa força que nós temos em juntar instituições em torno de um propósito comum. Esse é um caminho que nós precisamos cada vez mais mostrar para o Brasil. Precisamos ter essa clareza de propósitos que têm relevância para a sociedade e também essa capacidade de unir instituições e trabalhar de forma concatenada, para poder cumprir esse papel”. E explicou o projeto: "a ideia desse programa está contida no próprio nome, mas temos a responsabilidade de suprir as necessidades básicas da população como alimentação e higiene neste momento crítico que o Brasil atravessa”.

Solidariedade

Responsável pela operacionalização do projeto, a Fundação Banco do Brasil (FBB) esteve representada pelo presidente Asclepius Ramatiz Lopes Soares, que deu um depoimento emocionado acerca do momento vivido por milhares de famílias.

"Desde abril temos tido depoimentos muito fortes, pois estamos passando por um momento muito complicado, e o fato de estarmos juntos prova isso. Recentemente, recebemos o relato de uma entrega de cesta que fizemos em que uma criança falava: mãe, hoje nós vamos ter comida. Olhe como isso é forte. Estamos vivendo um momento em que pessoas estão passando fome. E quando a gente percebe que uma criança passa fome é algo que transpassa a nossa alma".

E contou como conheceu e aceitou participar da iniciativa. “Entendendo o momento que estamos vivendo, adoramos esse projeto de ajuda voluntária. Eu acredito tanto nesse projeto que também estamos investindo muito nesse projeto e vamos trabalhar com todo afinco para que esse recurso chegue da forma mais rápida a população que mais precisa”, lembrou

Fonte: Assessoria Assomasul