11/05/2020 10:03

Blog Patrimônio União faz homenagem a David Alvarenga

Is allowance instantly strangers applauded
Fotos: Divulgação

Amigo que conheci em minhas visitas ao MUSEU, e na roda de TERERÉ junto com Sr Almiro.

Pai zeloso pelos filhos, pois segundo me relatava, transferiu sua residência para Curitiba no Paraná, para oferecer aos filhos melhores condições de estudos.

Mas foi na década de 60, que veio residir em Amambai, vindo de Ponta Porã, trabalhando inicialmente para a prefeitura, abrindo estradas na região do Porto Morumbi e região, e foi ali, que conheceu o amor de sua vida, Dona Gera.

E as fotos das festas de carnaval onde se vê um casal de jovens apaixonados nos embalos dos conjuntos musicais.

Lembro dos relatos que na falta de ambulâncias, seu caminhão basculante era abastecido com meia carga de areia e o paciente era acomodado na carroceria para ser levado a Ponta Porã. No transporte de jogadores na caçamba em companhia do saudoso Ernesto Landolfi.

Como era gostoso de ver as caminhadas do casal na rodovia para Caarapó, segurando nas mãos dela, como eternos namorados. E nos momentos da doença dela, sempre permaneceu ao seu lado.

Lembro, momentos na roda de Tereré no museu, e que era logo inquirido a ir embora pela dona Gera. Mas carinhosamente, ia driblando seus pedidos.

Da garganta que tantas anedotas e causos saíram, surgiu uma neoplasia, que o deixou debilitado, mas mesmo assim, não deixou de se preocupar com sua amada.

E foi, provavelmente no cuidado com ela que sua vida esvaeceu.

Vá com Deus meu amigo. Amambai perde um filho, que amou essa terra como poucos.

Fonte: Albertino Fachin Dias/ Amambai - Patrimônio da União de um Povo