03/03/2020 08:28

No dia de início do CFSD, remanescentes do concurso da PM e Bombeiros de MS reuniram-se em frente ao Cefap

Objetivo, segundo os candidatos, foi chamar a atenção das autoridades para que seja cumprida a promessa de aumento das vagas em ambos concursos. Se não forem chamados até maio, candidatos arcarão novamente com uma despesa que ultrapassa os R$ 3 mil.

Is allowance instantly strangers applauded
Foto: Divulgação

O Centro de Formação e Ensino de Praças da PM (Cefap) e a Academia de Bombeiros em Campo Grande, foram, na manhã dessa segunda-feira (2), o palco do início da realização de sonhos. Em ambos lugares aconteceram, simultaneamente, a apresentação dos novos alunos-soldados da Polícia Militar e Bombeiros de Mato Grosso do Sul aprovados no concurso de 2018.

Esse dia, que para 388 homens e mulheres aspirantes a policiais e para 153 homens e mulheres aspirantes a bombeiros foi de alegria, para candidatos remanescentes do mesmo concurso foi de luta mais uma vez.

Após a promessa feita pelo governador do Estado de MS, Reinaldo Azambuja, garantindo a ampliação das vagas em ambos concursos, muitos candidatos se organizaram para iniciar o Curso de Formação de Soldados (CFSD) junto dos demais colegas, mas como ainda não houve a ampliação, esses remanescentes reuniram-se em frente ao Cefap como forma de chamar a atenção das autoridades para que essa promessa seja cumprida.

Cerca de 20 candidatos participaram do ato representando 209 aprovados para PM e 52 aprovados para BM que estão no aguardo do chamamento para o CFSD.

Paulo Henrique, remanescente da PM que participou do ato em frente ao Cefap, disse que foi a forma que encontraram para que esses candidatos não sejam esquecidos agora, com o início deste curso de formação.

"Nossa intenção foi mostrar que o governo e a sociedade precisam desses que estão de fora também; esses 388 alunos-soldados e 153 BM são poucos perto da demanda que o Estado tem", disse Paulo.

*Outro fator de preocupação*

Um fator que tem gerado preocupação nos candidatos é que caso não sejam convocados até maio deste ano, todos serão obrigados a refazer os exames de saúde e Teste de Aptidão Física (TAF) e todos os gastos são responsabilidade do candidato. Só os exames de saúde exigidos custam em torno de R$ 3 mil, sem contar os gastos de transporte e hospedagem no caso de candidatos que residem fora da capital e até mesmo em outros estados do Brasil, como é o caso de muitos.

Além dos candidatos, o presidente da Associação dos Praças da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Mato Grosso do Sul (Aspra), Cabo Ferreira, esteve presente no ato, demonstrando o apoio aos remanescentes.

A Aspra assim como a Associação de Cabos e Soldados da PM e BM de Mato Grosso do Sul (ACS) e o deputado estadual Cel. David encampam essa luta junto dos remanescentes, luta essa que tem como único objetivo garantir mais efetivo, fortalecendo a segurança pública do Estado e mantendo a sociedade mais protegida.

Fonte: Assessoria