23/03/2020 13:23

Reinaldo Azambuja zera cobrança de água de famílias de baixa renda por três meses em MS

Pelo menos 50 mil pessoas serão beneficiadas nas 68 cidades onde a Sanesul opera

Is allowance instantly strangers applauded

Consumidores de baixa renda da Sanesul serão isentos do pagamento da conta de água pelos próximos três meses (abril, maio e junho). A medida, anunciada pelo governador Reinaldo Azambuja nesta segunda-feira (23), visa amenizar os impactos na vida financeira de aproximadamente 12 mil famílias carentes afetadas pela quarentena do coronavírus.

“Estamos suspendendo o pagamento (da conta) de todas famílias na tarifa social nas 68 cidades onde a Sanesul opera. Essas famílias não vão precisar pagar a conta de água pelos próximos 90 dias”, frisou o governador durante entrevista na televisão.

Reinaldo Azambuja ainda anunciou que nesse período está proibido o corte de água em todas as unidades consumidoras da Sanesul. “Aquelas outras famílias que não são da tarifa social terão tratativas caso a caso”, completou.

A Sanesul tem a gestão do abastecimento de água e esgoto em 68 cidades de Mato Grosso do Sul. Em outros 10 municípios a administração é por conta das prefeituras. Já em Campo Grande os sistemas são de responsabilidade de uma empresa privada.

Energia

O governador também destacou que acompanha de perto questões relacionadas à cobrança de energia dos sul-mato-grossenses. “Estamos em contato com a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). Amanhã (24) vamos ter uma videoconferência com o presidente Jair Bolsonaro e equipe. A Aneel deve publicar uma resolução a nível Brasil norteando todas as ações de todas as distribuidoras de energia, inclusive a Energisa”, falou.

A expectativa, segundo ele, é que a Aneel suspenda os cortes de energia durante o período da quarentena em todo o País.

Gás natural

Também nesta segunda-feira, a diretoria-executiva da MSGás deliberou por interromper por prazo indeterminado as suspensões e cortes de clientes do gás natural, salvo em casos de manutenção. A decisão vale até o retorno da normalidade, anunciado pelas autoridades sanitárias.

Bruno Chaves, Subsecretaria de Comunicação (Subbom)

Foto: Chico Ribeiro

Fonte: Assessoria Governo do MS