16/05/2019 11:33

Paulo Corrêa repercute construção de ponte que viabiliza Rota Bioceânica

Na manhã da quarta-feira (15), o presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS), Paulo Corrêa (PSDB), usou a tribuna para repercutir reunião realizada ontem com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) e com o diretor-geral da Itaipu do Paraguai, José Alberto Alderete Rodríguez. A reunião, na cidade de Porto Murtinho, foi sobre a construção da ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta (Paraguai), a qual viabilizará a implantação da Rota Bioceânica.

Deputado Paulo Corrêa repercutiu, na tribuna, questões relativas ao projeto de implantação da Rota Bioceânica. (Foto: Luciana Nassar)

A ponte será construída pelo governo do Paraguai em parceria com a Itaipu paraguaia e, conforme o deputado Paulo Corrêa, a previsão é de que fique pronta em três anos, pois na reunião foi confirmado o compromisso de iniciar a implantação do projeto.

Com a ponte viabilizando a Rota Bioceânica, haverá a diminuição da distância e de tempo gastos com transporte de cargas para países asiáticos por meio do Oceano Pacífico, o que, para Paulo Corrêa, beneficiará a posição econômica do estado de Mato Grosso do Sul. “Atualmente, demoramos cerca de 17 horas no desembaraço de cargas. A Rota Bioceânica é um sonho antigo e os dois países, Brasil e Paraguai, serão beneficiados”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Paulo Corrêa, o papel da Assembleia Legislativa é incentivar o projeto politicamente, fomentando a participação e envolvimento da comunidade empresária. Ele afirma que a bancada parlamentar federal também está empenhada.

O deputado Capitão Contar (PSL), presidente da Comissão de Indústria, Turismo e Comércio da ALMS, afirmou que todos os setores terão melhorias e investimentos com a Rota Bioceânica. “As exportações também experimentarão crescimento e com transparência vamos contribuir para esse projeto de suma importância para o estado e para o país”, avaliou o parlamentar. Coronel David (PSL) afirmou que o governador Reinaldo Azambuja encontrará as portas abertas no governo federal para facilitar ao máximo a implantação do projeto.

Para o deputado Barbosinha (DEM), líder do governo estadual na Casa de Leis, os benefícios do projeto podem elevar a importância econômica do estado. “A consolidação desse projeto é resultado de uma luta secular. Estabelecer a Rota Bioceânica elevará o estado de Mato Grosso do Sul a alto patamar, como porta de entrada para o Pacífico”, comentou. Marçal Filho (PSDB), por sua vez, disse que também considera a pavimentação da ponte que liga Porto Murtinho ao Paraguai um passo importante.

Fonte: Ana Maria Assis/AL MS