31/07/2022 10:02

Saiba como o período de descanso pode contribuir para o desempenho dos estudantes

Especialistas reforçam que o repouso é importante, não apenas para a recuperação do físico, mas também para a saúde emocional

Professores e psicólogas explicam porque o descanso contribui para o desempenho dos estudantes nas tarefas escolares. Os especialistas reforçam que o repouso é importante não apenas para a recuperação do físico, mas também para a saúde mental e emocional de crianças e adolescentes. Confira as orientações:

Professores e psicólogas explicam porque o descanso contribui para o desempenho dos estudantes nas tarefas escolares. Os especialistas reforçam que o repouso é importante não apenas para a recuperação do físico, mas também para a saúde mental e emocional de crianças e adolescentes. Confira as orientações:

A psicóloga e psicopedagoga, Juliana Góis, orientadora educacional de apoio à aprendizagem no Colégio Rio Branco, explica como o descanso favorece o aprendizado, “há evidências científicas que comprovam isso”, diz. “Um estudo realizado pela academia norte-americana de pediatria, enfatiza isso, ao mostrar o resultado de um acompanhamento na rotina escolar ao longo de cinco anos, com alunos americanos — é uma associação entre férias e aprendizagem”, esclarece. “ É na pausa que o conhecimento adquirido se consolida por outras vias”

A psicóloga e psicopedagoga, Juliana Góis, orientadora educacional de apoio à aprendizagem no Colégio Rio Branco, explica como o descanso favorece o aprendizado, “há evidências científicas que comprovam isso”, diz. “Um estudo realizado pela academia norte-americana de pediatria, enfatiza isso, ao mostrar o resultado de um acompanhamento na rotina escolar ao longo de cinco anos, com alunos americanos — é uma associação entre férias e aprendizagem”, esclarece. “ É na pausa que o conhecimento adquirido se consolida por outras vias”

Divulgação/ Freepik

Juliana também dá orientações que podem ajudar os estudantes a aproveitar melhor o descanso: • Estabelecer uma rotina do sono: deitar para dormir e acordar, buscando respeitar os mesmos horários no dia a dia;• Estimular que a cama seja um lugar de relaxamento: evite que a cama se torne um local para brincar, realizar tarefas de casa ou assistir televisão. Assim, o cérebro vai associar a cama com um local de relaxamento. • Evitar a ingestão de alimentos pesados à noite ou jantar próximo à hora de dormir.• Diminuir o ritmo das brincadeiras antes que a criança vá para a cama: reduza os estímulos e limite brincadeiras mais agitadas até uma hora antes de dormir, pelo menos. 

Juliana também dá orientações que podem ajudar os estudantes a aproveitar melhor o descanso:
• Estabelecer uma rotina do sono: deitar para dormir e acordar, buscando respeitar os mesmos horários no dia a dia;
• Estimular que a cama seja um lugar de relaxamento: evite que a cama se torne um local para brincar, realizar tarefas de casa ou assistir televisão. Assim, o cérebro vai associar a cama com um local de relaxamento. • Evitar a ingestão de alimentos pesados à noite ou jantar próximo à hora de dormir.
• Diminuir o ritmo das brincadeiras antes que a criança vá para a cama: reduza os estímulos e limite brincadeiras mais agitadas até uma hora antes de dormir, pelo menos. 

Gardinalle Bezerra de Sousa, orientadora educacional do ensino médio do Colégio Master, de Fortaleza, complementa as orientações, ao sugerir que crianças e adolescentes devem ter horários pré-estabelecidos para dormir e acordar, como também é preciso dar atenção com a alimentação consumida à noite. “Deve-se evitar alimentos mais pesados, assim como café e refrigerantes”, pontua

Gardinalle Bezerra de Sousa, orientadora educacional do ensino médio do Colégio Master, de Fortaleza, complementa as orientações, ao sugerir que crianças e adolescentes devem ter horários pré-estabelecidos para dormir e acordar, como também é preciso dar atenção com a alimentação consumida à noite. “Deve-se evitar alimentos mais pesados, assim como café e refrigerantes”, pontua

Para Gardinalle, o descanso é importante não somente para o estado físico, mas também para o estado emocional geral. “O cérebro necessita disso para funcionar da melhor maneira possível. Ao dormir bem durante a noite, as informações e as experiências vividas durante o dia são absorvidas, fixadas e se transformam em conhecimento a ser usado ao longo da vida”, diz. Segundo a orientadora educacional, durante esse período, o sono consolida a memória e auxilia no desenvolvimento, tanto físico, como mental

Para Gardinalle, o descanso é importante não somente para o estado físico, mas também para o estado emocional geral. “O cérebro necessita disso para funcionar da melhor maneira possível. Ao dormir bem durante a noite, as informações e as experiências vividas durante o dia são absorvidas, fixadas e se transformam em conhecimento a ser usado ao longo da vida”, diz. Segundo a orientadora educacional, durante esse período, o sono consolida a memória e auxilia no desenvolvimento, tanto físico, como mental

Paula Pimenta, psicóloga do Curso Anglo, reforça a ideia de que para uma aprendizagem satisfatória, o corpo e a mente precisam estar saudáveis. “Isso só é possível com equilíbrio, com a alternância entre atividade e descanso”, diz. Segundo a psicologa, independente da aprendizagem em questão, seja um conteúdo escolar ou cognitivo, uma atividade motora ou uma atividade artística, tanto o corpo, quanto a mente precisam estar tranquilos

Paula Pimenta, psicóloga do Curso Anglo, reforça a ideia de que para uma aprendizagem satisfatória, o corpo e a mente precisam estar saudáveis. “Isso só é possível com equilíbrio, com a alternância entre atividade e descanso”, diz. Segundo a psicologa, independente da aprendizagem em questão, seja um conteúdo escolar ou cognitivo, uma atividade motora ou uma atividade artística, tanto o corpo, quanto a mente precisam estar tranquilos

Para Paula, o processo de ensino–aprendizagem é uma atividade cognitiva bastante trabalhosa, pois requer que uma série de etapas ocorram para ser efetivo. “Organização, planejamento, concentração, a escolha de um método de estudo adequado e, a constante avaliação de quão eficaz ou não está sendo o desenvolvimento, para assim efetuar as modificações necessárias”, finaliza. *Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Para Paula, o processo de ensino–aprendizagem é uma atividade cognitiva bastante trabalhosa, pois requer que uma série de etapas ocorram para ser efetivo. “Organização, planejamento, concentração, a escolha de um método de estudo adequado e, a constante avaliação de quão eficaz ou não está sendo o desenvolvimento, para assim efetuar as modificações necessárias”, finaliza. *Estagiário do R7 sob supervisão de Karla Dunder

Fonte: R 7