22/10/2020 11:09

Presidente do Simted de Amambai fala sobre o novo plano de cargos e carreiras do magistério

Professora Erli Fernandes atua na educação básica há quase 30 anos e avalia as recentes mudanças estabelecidas pelo Governo Estadual como não tão prejudiciais à classe dos professores.

Is allowance instantly strangers applauded
Professora Erli Fernandes, presidente do Simted e sua vice, professora Nídia Peixer / Foto: Moreira Produções

No início da segunda quinzena de outubro, foi sancionada pelo Governo Estadual de Mato Grosso do Sul (MS), a Lei o Plano de Cargos e Carreiras do Magistério. Na avaliação da presidente do Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação Básica de Amambai (Simted), professora Erli Fernandes, o novo plano incorporou reivindicações históricas dos trabalhadores e garantiu avanços para a categoria.

"Foram seis meses de negociação entre os sindicatos, a Fetems e o Governo; por conta disso, conseguimos avançar com nossas propostas e o resultado não é tão prejudicial à nossa categoria, como inicialmente seria", afirma a professora. 

De acordo com Erli, não se trata de uma negociação salarial e sim, uma alteração na carreira de professores efetivos e aposentados, eximindo os professores convocados e os servidores administrativos. A respeito desses,  Erli explica que a Fetems e os sindicatos encampam lutas diferentes. No caso dos convocados, para que seja cumprida a promessa feita pelo Governo sobre a realização de um novo concurso já em 2021; e no caso dos servidores administrativos, a luta é para que a classe seja desvinculada da classe geral de funcionários administrativos do Estado, podendo assim, receber ajustes salariais diferenciados, compatíveis com os profissionais da educação.     

 **Garantia da integralização do Piso até 2020**

Uma luta que há anos é travada pelos profissionais da educação é a integralização do piso de 40 para 20 horas. Nessas mudanças sancionadas pelo Governo há garantia da integralização desse piso salarial para 20 horas, aplicado de forma escalona de 2022 até o ano 2027.

Conforme o texto, a equivalência de 100% do piso será integralizada até 2027, sempre no mês de outubro, sendo 90% em outubro de 2022, 92% em 2023, 94% em 2024, 96% em 2025, 98% em 2026 e 100% em outubro de 2027.

"Ficamos felizes com essa garantia porque só mesmo quem é da área da educação sabe como essa é uma reinvindicação antiga nossa", pondera Erli. 

**Retorno das aulas presenciais só em 2021**

Também no início deste mês, o Governo Estadual anunciou que as aulas presenciais só retornam em 2021. A rede municipal de ensino de Amambai, de acordo com a secretária de educação, Zita Centenaro, seguirá o mesmo padrão da rede estadual. 

A presidente do Simted comemora essa decisão, tendo em vista a quantidade de professores e servidores administrativos que entram no grupo de risco de contágio da pandemia.

"Quem tem chão de escola sabe que a prática funciona diferente da teoria e colocar várias crianças dentro de uma sala e exigir delas uma postura de prevenção não é o momento adequado, além do mais, nós temos vários professores e servidores administrativos dentro do grupo de risco e que precisamos protege-los", finalizou.

 

Fonte: Moreira Produções/Assessoria Simted