24/07/2020 18:41

Em entrevista, presidente do Simted de Amambai fala da aprovação do Fundeb

#### O fundo corresponde a mais de 60% do financiamento da educação básica em estados e municípios

A educação brasileira viveu nesta semana um momento histórico. Na última terça-feira (21) a Câmara dos Deputados votou e aprovou o texto-base da PEC 15/15, que torna permanente o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb). Este fundo corresponde a mais de 60% do financiamento da educação básica em estados e municípios brasileiros.

Professora Erli, presidente do Simted de Amambai / Foto: Moreira Produções

O texto aprovado aumenta gradualmente a participação da União no fundo, de 10% para 23%, nos próximos seis anos, sendo que 5% serão aplicados na educação infantil.

E foi sobre este assunto que a presidente do Sindicato Municipal dos Trabalhador em Educação Básica (Simted) de Amambai, professora Erli Fernandes, foi convidada a falar durante uma entrevista no programa Resenha da Cidade, da Rádio Canal 100 FM, nesta sexta-feira (24).

"Haverá um investimento maior na educação e esse aporte financeiro vai fazer a diferença para a educação de estados e municípios", salientou.

Erli ainda explicou que o Fundeb é um fundo de financiamento exclusivamente voltado para a área da educação, sendo assim, os membros dos poderes executivos estadual e municipal não podem investir os recursos do fundo em áreas que não sejam a da educação básica.

O aumento nos investimentos da educação, segundo a presidente do Simted, vai garantir aumento na remuneração dos profissionais, na melhoria da infraestrutura das escolas, garantindo assim, melhores condições de aprendizagem.

"A educação pública, essa pela qual lutamos, enquanto sindicato e sindicalista, vai conseguir oferecer um ensino de qualidade a todos", garantiu Erli.

**Votação no Senado**

Depois da aprovação da PEC 1515 pela Câmara, o texto agora segue para o Senado e, posteriormente, para a sanção do presidente da República.

Erli lembra que para a aprovação na Câmara, a categoria dos trabalhadores da educação fez uma movimentação em torno das mídias sociais e que para as próximas fases até que o Novo Fundeb vire lei, torne-se permanente, os educadores continuam a postos para pressionarem os senadores.

 

Fonte: Moreira Produções/Assessoria Simted