10/02/2020 06:30

Após adiamento, MEC deve divulgar nesta segunda-feira a lista de espera do Sisu 2020

Cronograma inicial previa que a lista de alunos que aguardam uma vaga em universidades públicas seria divulgada na sexta; MEC adiou cronograma e não justificou o motivo.

O Ministério da Educação (MEC) deve divulgar nesta segunda-feira (10) os nomes dos estudantes que estão na lista de espera a uma vaga nas universidades públicas, disponibilizadas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) neste primeiro semestre de 2020. A divulgação será diretamente para as instituições de ensino, que deverão convocar os candidatos aprovados.

O cronograma inicial previa que a divulgação da lista ocorreria na sexta-feira (7). No entanto, os nomes não chegaram às universidades ou houve uma lista errada – ao menos sete universidades e institutos federais adiaram a convocação.

No mesmo dia, o MEC informou em nota que havia adiado o cronograma e que a divulgação estava prevista para segunda-feira (10), sem justificar o motivo da mudança. Procurado pelo G1, o MEC não deu retorno até a mais recente atualização desta reportagem.

O Sisu usa notas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) para selecionar os estudantes. Após os erros apontados na correção dos gabaritos do exame de 2019 – que o MEC chamou de "inconsistências" –, o Sisu passou a enfrentar diversos problemas (leia mais abaixo).

O prazo para que os estudantes que não foram classificados na primeira chamada manifestassem interesse em entrar na lista de espera terminou na terça-feira (4). Na quinta (6), houve relatos em redes sociais de que o sistema do MEC não considerou as inscrições daqueles que escolheram apenas uma opção de curso.

Dias depois, candidatos que não haviam sido aprovados na primeira chamada relataram problemas na lista de espera, porque não conseguiam selecionar a opção.

No fim de janeiro, a Defensoria Pública da União (DPU) questionou na Justiça uma série de mensagens do ministro da Educação em uma rede social. Em meio à crise do Enem, Weintraub respondeu no Twitter ao pai de uma aluna que solicitou a revisão da nota da filha. Para a Defensoria, houve uma "seriíssima ofensa ao princípio da impessoalidade, pilar da Administração Pública".

Nesta terça-feira (4), a Comissão de Educação do Senado aprovou um convite ao ministro da Educação, Abraham Weintraub, para prestar esclarecimentos sobre os erros no Enem, que acabou refletindo também no Sisu.

Fonte: G 1