25/11/2021 17:19

Dólar cai e fecha cotado a R$ 5,56 com melhora nos juros e na bolsa

Is allowance instantly strangers applauded

O dólar opera em queda de 0,54% , cotado a R$ 5,5648, nesta quinta-feira (25), ficando abaixo da marca psicológica de R$ 5,60, com investidores aproveitando para realizar lucros em um dia sem grandes catalisadores externos e em meio ao debate sobre o ritmo de aperto monetário no Brasil.

Também não houve referência dos negócios nos Estados Unidos, uma que eles ficaram fechados pelo feriado de Ação de Graças.

O resultado representa o menor patamar desde o último dia 17 (5,5264 reais) e a maior baixa percentual diária desde 11 de novembro (-1,80%).

Com a cotaçaõ desta quinta (25), a moeda norte-americana passou a acumular recuo de 1,47% no mês. No ano, ainda tem valorização de 7,28% contra o real. Veja mais cotações.

Cenário

Na agenda doméstica, o IBGE divulgou mais cedo a prévia da inflação de novembro. O indicador ficou em 1,17% no mês, acumulando alta de 10,73% nos últimos 12 meses.

Na cena política, as atenções seguiram voltadas para a tramitação da PEC dos Precatórios no Senado e no xadrez político que se desenha conforme o noticiário eleitoral esquenta, com mais informações sobre pré-candidatos para a Presidência da República em 2022.

A PEC é a principal aposta do governo para viabilizar o programa. A proposta adia o pagamento de precatórios (dívidas do governo já reconhecidas pela Justiça) e altera o cálculo do teto de gastos (regra pela qual, de um ano para outro, as despesas do governo não podem crescer mais que a variação da inflação). O governo afirma que, se aprovada, a PEC abrirá espaço de R$ 91,6 bilhões no orçamento de 2022.

Projeções para inflação, juros e dólar

O mercado financeiro elevou novamente a estimativa para inflação oficial, e passou a prever um valor acima de 10% neste ano, segundo pesquisa Focus do Banco Central. Já a previsão de crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) deste ano passou de 4,88% para 4,80%. Para 2022, a estimativa de alta foi reduzida de 0,93% para 0,70%.

Para a taxa básica de juros, foi mantida em 9,25% ao ano a previsão para o fim de 2021. Para o fim de 2022, a expectativa para a Selic foi elevada de 11% para 11,25% ao ano.

Já a projeção para a taxa de câmbio no fim de 2021 permaneceu em R$ 5,50 por dólar.

Juros mais altos teoricamente elevariam a atratividade para investimentos na renda fixa brasileira, fluxo esse que aumentaria a oferta de dólares e poderia baixar o preço da moeda.

 

Fonte: G 1