16/09/2020 17:40

Dólar fecha em queda em dia de Copom e Fed

Is allowance instantly strangers applauded

O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (16), em dia de decisões sobre política monetária no Brasil e nos Estados Unidos. A estimativa do mercado é de manutenção da taxa de juros no Brasil (Selic) em 2% ao ano. A moeda norte-americana recuou 0,96%, vendida a R$ 5,2378.

Na terça-feira, o dólar subiu 0,24%, a R$ 5,2884. Na parcial do mês, acumula baixa de 4,44%. No ano, tem valorização de 30,62%. Em meio à alta dos alimentos, o Banco Central deve interromper nesta quarta-feira o ciclo de cortes e manter juro básico em 2% ao ano. A decisão do Comitê de Política Monetária será anunciada por volta das 18h.

Os investidores seguem de olho também na política local e no enfraquecimento da equipe econômica do ministro Paulo Guedes, após o presidente Jair Bolsonaro decretar o fim da proposta do Renda Brasil e proibiur que integrantes do governo voltem a falar sobre o programa.

Apesar das preocupações com as divergências entre o presidente e a equipe de Guedes, a avaliação de parte dos analistas é de que ao tirar o Renda Brasil da pauta, o governo pode abrir espaço para o avanço de temas da agenda legislativa considerados mais urgentes como as reformas administrativa e tributária.

Nos EUA, o Federal Reserve (Fed), manteve a taxa de juros perto de zero e prometeu deixá-la nesse nível até que a inflação esteja a caminho de "superar moderadamente" a meta de 2% do banco central norte-americano "por algum tempo".

O mercado financeiro manteve as estimativas para o dólar ao fim de 2020 (R$ 5,25) e 2021 (R$ 5,00), mas reduziu a projeção para a Selic no término de 2021 de 2,88% para 2,50%, conforme a mais recente pesquisa Focus do Banco Central.

A Selic baixa tem sido citada como uma das causas para a instabilidade no câmbio e também para maior dificuldades do Tesouro Nacional de rolar a dívida pública em meio a um já fragilizado quadro fiscal.

 

Fonte: Fiems