20/05/2020 16:54

Dólar cai e fecha abaixo de R$ 5,70 pela primeira vez em duas semanas

O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (20), em dia de apetite por risco moderado no exterior, mas com a cautela permanecendo no mercado doméstico diante das preocupações sobre os impactos econômicos da pandemia. A moeda norte-americana terminou o dia em baixa de 1,20%, a R$ 5,6875 - abaixo de R$ 5,70 pela primeira vez desde 5 de maio. Na mínima, chegou a R$ 5,6706. 

No mês, a moeda passou a acumular alta de 4,56%, e no ano, de 41,84%. No Brasil, os desdobramentos políticos também seguiram no radar dos investidores, com possibilidade de volatilidade em caso de novidades sobre o vídeo de reunião ministerial que poderia comprometer o presidente Jair Bolsonaro. O Banco Central ofertou nesta quarta-feira até 12 mil contratos de swap cambial tradicional com vencimento em setembro de 2020 e fevereiro de 2021 para fins de rolagem.

A B3 decidiu manter todas as suas atividades de negociação, registro, custódia, compensação e liquidação de operações, em horários regulares, nesta quarta e também na quinta, sexta e na próxima segunda-feira. "Não haverá, no mercado de bolsa, negociação e liquidação no dia 11/06/2020, ficando mantido o calendário original anual, mesmo tendo havido antecipação de feriado em São Paulo", informou. Agências bancárias também vão funcionar ao longo do feriadão antecipado paulistano.

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas, publicou o decreto que adiantou os feriados de Corpus Christi e Consciência Negra para esta quarta e quinta. Na sexta-feira, será declarado ponto facultativo na cidade. A medida tenta criar um “feriadão” de até seis dias para ajudar no isolamento da cidade e, assim, ajudar a conter o alastramento da Covid-19. Em âmbito estadual, o governador João Doria, também do PSDB, tenta aprovar a antecipação do 9 de julho para a próxima segunda-feira, 25.

Cenário externo

Lá fora, os principais índices acionários tiveram pequenas variações, com as dúvidas sobre uma possível vacina contra o Covid-19 despertando preocupações sobre se e com que rapidez o mundo pode de recuperar da crise do coronavírus. A Organização Mundial do Comércio informou nesta quarta-feira que seu indicador de comercialização de mercadorias caiu para o nível mais baixo desde seu lançamento, indicando que o comércio global deve cair "de forma acentuada" no primeiro semestre de 2020 devido aos problemas causados pela pandemia.

A OMC estimou no mês passado que o comércio mundial de mercadorias poderia cair entre 13% e 32% este ano, dependendo da duração da pandemia e da efetividade das respostas. Segundo a entidade, a nova leitura divulgada nesta quarta e consistente com essa estimativa.

Fonte: Fiems