14/10/2019 16:46

Dólar fecha em alta e volta R$ 4,12, em dia de maior cautela no exterior

O dólar fechou em alta nesta segunda-feira (14), em dia de maior aversão ao risco no exterior diante de preocupações sobre o crescimento econômico global após dados fracos da China, em cenário ainda de cautela sobre as relações comerciais entre Pequim e Washington, segundo a Reuters.

A moeda norte-americana encerrou o pregão em alta de 0,82%, vendida a R$ 4,1278. Na máxima do dia, a cotação foi a R$ 4,1375 e, na mínima, a R$ 4,1098. Na sexta-feira, a moeda norte-americana caiu 0,69%, a R$ 4,0943. Na semana passada, a alta acumulada foi de 0,95%.

Cenário externo

A queda do dólar na sexta veio na esteira de notícias de que os Estados Unidos e a China acertaram a primeira fase de um acordo para encerrar a guerra comercial entre os dois países. No entanto, segundo a economista-chefe da CM Capital Markets, Camila Abdelmalack, o otimismo sobre o acordo perdeu força nesta sessão, com operadores voltando a ter cautela sobre a situação, destaca a Reuters.

Nesta segunda-feira, a Bloomberg informou que a China quer mais negociações já no final de outubro para definir os detalhes da "fase um" do acordo comercial esboçado por Trump, antes que o presidente chinês Xi Jinping concorde em assiná-lo. "O acordo não deixa de ser parcial que ainda vai ser assinado. Não há 100?certeza de que tudo vai ocorrer bem até a assinatura dele e isso traz uma certa cautela", afirmou Abdelmalack.

Adicionalmente, dados divulgados nesta segunda mostraram que a queda nas exportações da China se intensificou em setembro enquanto as importações contraíram pelo quinto mês seguido, indicando mais fraqueza na economia e destacando a necessidade de mais estímulo em meio à guerra comercial com os EUA. Os números ajudavam a pintar um cenário de maior cautela, diante da retomada das preocupações acerca da saúde da economia global.

Cenário local

Na cena doméstica, o Banco Central vendeu nesta segunda-feira 2.000 contratos de swap cambial reverso, de oferta de até 10.500 contratos, e US$ 100 milhões em dólar à vista, de oferta de até US$ 525 milhões. Adicionalmente, a autarquia também ofertará contratos de swap tradicional, para rolagem do vencimento dezembro de 2019.

Fonte: Fiems