17/07/2019 17:11

Dólar fecha nesta quarta-feira em queda, após dois dias de alta

O dólar fechou em queda nesta quarta-feira (17), ainda em meio ao otimismo ligado à reforma da Previdência e ao ambiente político, e operou descolado do exterior, onde há cautela renovada ligada à disputa comercial entre Estados Unidos e China. A moeda norte-americana recuou 0,24%, a R$ 3,7604. 

Na parcial do mês, a divisa caiu 2,06% ante o real. No ano, o recuo acumulado é de 2,94%. O real ainda foi beneficiado pela votação da reforma da Previdência em primeiro turno na Câmara na semana passada, mais notadamente pela economia prevista no texto, destacou a Reuters.

"Apesar do timing de votação do segundo turno da Câmara ter decepcionado, o resultado da primeira votação e a proposta que foi votada mais do que compensaram", avaliou o Credit Suisse em nota a clientes, acrescentando que ainda enxerga potencial de valorização para o real.

Com a reforma da Previdência em pausa por ora, investidores passaram a buscar informações sobre outras matérias econômicas tocadas pelo governo e sobre o pós-Previdência, já que a aprovação nas duas Casas do Congresso é tida como certa.

As expectativas com relação ao corte de juros do Federal Reserve no fim do mês também seguem no radar de investidores. Declarações do presidente do Fed, Jerome Powell, corroboraram a percepção de que o banco central dos EUA cortará juros no fim do mês, mas uma série de dados econômicos fortes dos EUA nesta semana levantou dúvidas sobre quão agressiva será a redução da taxa.

A percepção de que o banco central norte-americano será mais contido no corte dos juros levou a uma valorização do dólar nos últimos dias, apontou a Reuters. Na véspera, o presidente norte-americano, Donald Trump, disse que os EUA ainda têm um longo caminho para concluir o acordo comercial com a China, e que pode impor tarifas sobre outros US$ 325 bilhões em produtos chineses se for necessário.

Fonte: Fiems