30/03/2022 09:27

Amambai poderá ter um Ecossistema Municipal de Empreendedorismo e Inovação

Is allowance instantly strangers applauded
Fotos: Raquel Fernandes

Raquel Fernandes

Nesta segunda-feira, dia 28, mulheres empreendedoras, líderes de entidade dos mais diversos setores se reuniram juntamente com o SEBRAE/MS e SENAC/MS para realizar a primeira reunião de articulação para a criação do Ecossistema Municipal de Empreendedorismo e Inovação

A reunião que foi realizada na ACIA, às 14 horas, contou com a participação da vereadora Cida Farias, uma das incentivadoras da formação do ecossistema no município, do Secretário de Desenvolvimento Econômico, Roberto Rachtiune, da Gestora da Coordenadoria de Políticas Públicas para Mulheres, Priscina Judice, Presidentes e diretores de entidades, instituições públicas e privadas, cooperativas, sindicatos e empreendedoras do município.

O analista de Relacionamentos e Negócios do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (SEBRAE), Adelino Costa Marques,  explicou ao público presente como funciona um ecossistema e mostrou exemplos realizados no estado de Mato Grosso do Sul.

O ecossistema empreendedor ou de inovação é um ambiente amigável para o surgimento de novas empresas. Ele é formado pelos mais diversos agentes do empreendedorismo sobre a influência dos mecanismos regulatórios ou características de mercado, buscando o desenvolvimento do negócio. A interconexão é baseada em confiança, equilíbrio e dinamismo. Veja alguns agentes que possuem um papel recorrente e relevante:

  • Empreendedor: maior poder de influência no ecossistema, viabiliza novos negócios para gerar desenvolvimento econômico, tecnológico e social;
  • Investidores: permitem o acesso a capital para o crescimento do negócio;
  • Aceleradoras: investimento nem sempre financeiro, oferecem mentoria para ajudar a direcionar e encontrar o mercado, além de buscar investidores;
  • Incubadoras: normalmente vinculadas a universidades, acolhem empresas e oferecem espaço físico e capacitação;
  • Universidades: capacitação aos empreendedores, além de ajudar no potencial tecnológico da região;
  • Governo: impulsionam o ecossistema por meio de programas, políticas específicas ou apoio (financeiro, comunicação e visibilidade);
  • Organizações setoriais:  Sebrae, Federações da Indústria ou do comércio ajudam a criar e viabilizar programas de integração com outros ambientes econômicos;
  • Comunidade: participa das ações e da cultura de empreendedorismo se beneficia em vários níveis, como opção de carreira.

A abertura de uma empresa em um ecossistema empreendedor não é garantia de sucesso, no entanto pode representar algumas vantagens na empreitada. 

(Com informações do SEBRAE)

Fonte: Grupo A Gazeta