13/07/2021 15:00

Amambai inaugura primeira Barbearia Indígena do Brasil

Is allowance instantly strangers applauded
Fotos: Raquel Fernandes/Grupo A Gazeta

Na semana passada, a Barbearia Dom Oliveira reinaugurou ao lado do seu antigo espaço e disse que viriam mais novidades e elas chegaram: Desde esta segunda-feira, dia 12, Amambai passa a contar com uma Barbearia Indígena: a GK.

No espaço, os moradores das aldeias do município poderão ser atendidos por profissionais de sua comunidade, que falam a língua materna.  O início deste projeto, que vem sendo desenvolvido há três anos, é um sonho realizado na vida de Marcelo de Oliveira, proprietário da Barbearia Dom Oliveira.

“Conversarmos com muita gente para dar vida a esta ideia e com a ajuda de várias pessoas conhecemos os profissionais e ofertamos cursos a eles. Inclusive, pesquisamos e descobrimos que não há uma barbearia urbana voltada exclusivamente aos indígenas no País. Foram anos de estudo para que esse sonho se tornasse realidade. Na GK, os profissionais indígenas que atendem não são funcionários, eles recebem conforme os serviços deles. Se a empresa lucrar, eles vão lucrar também”, informa.

Ele acrescenta que com a Barbearia Dom Oliveira ele já sentia realizado profissionalmente, mas faltava algo que hoje encontrou. “Eu e minha esposa sempre nos sensibilizamos com a causa indígena e sempre pensei em uma forma de incentivar eles a aprenderem uma profissão e também que eles pudessem se sentir completamente à vontade ao vir à cidade cortar cabelo em um espaço confortável e aconchegante. Futuramente espero formar mais e mais profissionais e expandir cada vez mais esse trabalho. Espero também que mais cidades também disseminem a ideia”, conta Marcelo, emocionado.

Atualmente GK atende no antigo local da Barbearia Dom Oliveira e conta com dois profissionais indígenas: o Renando Moreira Aquino, de 24 anos e o Evaristo Rocha, de 40. Ambos animados no primeiro dia de trabalho oficialmente na GK.

“Nossas expectativas são altas. Estamos muito contentes de estar aqui. Eu já cortava cabelo na Aldeia há uns cinco anos e o Marcelo nos chamou para fazer parte desse trabalho e nos concedeu cursos profissionalizantes”, conta Renando.

Evaristo sempre foi apaixonado pela profissão, “Desde os 16 anos eu cortava o cabelo com uma tesourinha. O curso só veio a somar com a prática que eu já tinha”, destaca

Os profissionais convidam toda a comunidade indígena para conhecer os serviços da GK – Guarani Kaiowá Barbearia, no Centro de Amambai.

União de Forças

Marcelo destaca e agradece ao apoio de pessoas que contribuíram direta e indiretamente com a realização deste sonho. “Primeiro quero agradecer a minha sócia de vida e de trabalho, a minha esposa Alana, que me deu total apoio e me ajudou de todas as formas a dar vida a este trabalho. Agradeço também aos vereadores Tato e Joanir, ao Prefeito de Amambai, Dr. Bandeira, Secretário de Governo, Alexsandro de Souza e ao Sérgio Roberto Gallo, que foram contatos fundamentais.”

Os artesanatos indígenas que decoram a Barbearia são da artesã Lucinha da Aldeia Amambai. “Agradeço ao Tato que também nos ajudou a encontrar os artesanatos para que pudéssemos decorar o local”

Fonte: Raquel Fernandes/ Grupo A Gazeta