24/02/2021 09:45

Transportes estão em alerta com nova alta de combustíveis em Amambai

Is allowance instantly strangers applauded
Fotos: Raquel Fernandes

Desde a última sexta-feira, dia 19, na maioria dos postos de combustível de Amambai, o litro da gasolina está saindo na média de R$ 5,50, um aumento de 0,40 centavos em menos de 30 dias. O diesel e o etanol também tiveram aumento nos preços.

Nesta segunda-feira, dia 22, em um posto da cidade, o litro do álcool estava R$ 3,79 e do Diesel Comum R$4,79. Os aumentos impactam em diversos tipos de serviços, seja no transporte de pessoas, equipamentos e produtos.

Em conversa com taxistas e mototaxistas de Amambai, é possível constatar uma grande preocupação com a diminuição considerável da margem de lucro de seus serviços devido aos altos preços dos combustíveis. Os valores dos serviços ainda não aumentaram, conforme contou Seu Ivo, taxista. “Está subindo demais. Nós não mexemos no nosso preço por enquanto. Estamos ainda sem saber o que fazer”, conta o taxista.

Os mototaxistas também estão na mesma situação. “Não aumentamos os preços, mas está ficando difícil, pois nosso gastos vão além do combustível, pois tem a manutenção da moto”, comenta Pedro Nunes.

Transportadoras

Quem também dá sinais de que não têm mais fôlego para absorver o aumento dos combustíveis são os caminhoneiros. Para o presidente da Confederação Nacional dos Caminhoneiros e Transportadores Autônomos de Bens e Cargas (Conftac), José da Fonseca Lopes, não será preciso nem de greve.

"Os caminhoneiros vão parando por conta própria, porque fica inviável trabalhar assim, não tem como, porque 60% do valor do frete vem do combustível. O caminhoneiro vai trabalhar de graça", questiona.

Em quatro semanas. o preço do litro da gasolina subiu 4,3%, atingindo R$ 4,769, segundo pesquisa da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). O etanol subiu 2,79% no mesmo período, passando para R$ 3,289. Já o aumento do diesel ficou em 2,09%, indo para R$ 3,762.

Fonte: Raquel Fernandes/ Grupo A Gazeta (com informações de Letícia Fontes do Jornal O Tempo)