09/01/2021 10:25

Possível envenenamento da água por ligações clandestinas provoca mortes de peixes e patos no Parque da Cidade em Amambai

Força-tarefa com a participação da SEMAI, Sanesul e inclusive da PMA será montada para apurar a situação, diz Secretaria.

Is allowance instantly strangers applauded
Esse pato registrado essa semana por uma usuária das instalações do parque público, foi flagrado agonizando até a morte na manhã desse sábado (9) no Parque da Cidade Muriama Mascarenhas. (Fotos: Divulgação)

Vilson Nascimento

Um possível envenenamento da água por possíveis substâncias tóxicas oriundas de ligações clandestinas de esgoto em galeria de águas pluviais pode ser a causa das mortes de peixes e patos no lago do Parque da Cidade Muriama Mascarenhas, um dos principais pontos de encontro dos moradores da cidade para praticar esportes, fazer exercícios promover interação, em Amambai.

O problema foi detectado no final do ano passado (2020) e voltou a acontecer no decorrer dessa semana, culminando inclusive com a morte de mais um pato na manhã desse sábado, 9 de janeiro, fato registrado por pessoas que praticavam caminhadas no espaço público.

Ao ser procurado pela reportagem o grupo A Gazeta, o secretário de meio ambiente da Prefeitura de Amambai, Luciney Bampi, informou que desde que tomou conhecimento da situação, em dezembro do ano passado, a Secretaria passou a atuar no caso, mas tendo em vista o recesso de final de ano, quando a atuação dos serviços públicos foi reduzida, ainda não conseguiu identificar as causas reais das mortes dos animais que para o local soam como peças ornamentais aos olhos dos visitantes.

Segundo Luciney Bampi, por meio de análise laboratorial, técnicos vão tentar identificar que tipo de substância tóxica existe na água e uma força-tarefa composta pela SEMAI (Secretaria Municipal do Meio Ambiente), da Sanesul e inclusive a participação da PMA (Polícia Militar Ambiental) deverá ser montada nos próximos dias para tentar identificar a origem do possível produto tóxico que vem provocando a morte dos animais.

De acordo com Luciney Bampi, ao que tudo indica esse produto pode ter origem de redes clandestinas de esgoto despejadas ilegalmente por empresas ou até mesmo residências, nas galerias de águas pluviais, que acabaram contaminando o lago do parque público, que é formado por água oriunda de córrego subterrâneo existente sob o perímetro urbano da cidade.

“O objetivo dessa força-tarefa a ser montada será encontrar essas possíveis ligações clandestinas para que sejam adotadas todas as medidas cabíveis para suas desativações ”, disse o secretário do meio ambiente ao ressaltar que além de multas com valores elevados e sanções administrativas, esse tipo de prática também é caracterizado como crime ambiental.

Em relação aos patos

Em relação aos patos atualmente existentes no Parque da Cidade, segundo Luciney Bampi, a informação recebida por ele no final do ano da secretaria pertinente é que os animais seriam removidos para uma localidade segura até que a situação da água fosse resolvida, mas a remoção não foi realizada.

Na manhã desse sábado (9) após ser procurado pela reportagem e informado que as aves permaneciam no local e inclusive morrendo em decorrência do possível problema com a água do lago, Luciney Bampi ressaltou que a situação foi passada à Secretaria Municipal de Serviços Urbanos para adotar as medidas cabíveis. 

A possibilidade levantada, segundo Luciney, é que os animais sejam removidos do local e levados para a região da horta municipal até que o problema da possível contaminação pela substância toxica da água do lago seja resolvido.

 

Fonte: A Gazetanews