13/10/2020 20:11

Temporal com ventos fortes e queda de granizo destelhou casas e provocou elevados prejuízos em Amambai

Intempérie que durou cerca de uma hora teve chuva de 65 milímetros e também causou alagamentos e blecaute na cidade. Não houve relato de feridos.

Is allowance instantly strangers applauded
Vendaval e chuva de 65 milímetros em cerca de hora provocou alagamentos e muitos danos em Amambai nessa terça-feira, dia 13 de outubro. (Fotos: Vilson Nascimento e Divulgação)

Vilson Nascimento

Após 53 dias sem chuva, pelo menos em volume expressivo, um temporal com chuva e ventos fortes destelhou casas, empresas e derrubou árvores, causando vários prejuízos na tarde dessa terça-feira, 13 de outubro, em Amambai.

Em cerca de uma hora choveu aproximadamente 65 milímetros, fator que também provocou alagamento de ruas em alguns pontos da cidade.

O prefeito, Dr. Edinaldo Bandeira acompanhou pessoalmente os levantamentos de danos por parte das equipes técnicas e anunciou apoio emergencial às famílias que não tiverem condições de recuperarem por meios próprios suas coberturas danificadas.

Em partes da cidade também chegou a cair granizo e objetos como galhos e até pedaços de coberturas de casas atingiram a rede elétrica, provocando um blecaute que deixou a cidade por mais de hora sem energia elétrica.

Tão logo as condições climáticas permitam técnicos da concessionária de energia Energisa passaram a atuar nos reparos e a energia foi restaurada.

Danos à residências

Na região da Vila Guape uma casa teve a cobertura totalmente arrancada pela força do vento, porém os moradores saíram ilesos, sofrendo apenas perda de bens.

Outra residência situada no Residencial Analy, na saída para Ponta Porã também teve toda a cobertura arrancada. 

A moradora estava com sua filha de apenas um ano de idade dentro da casa na hora do temporal, mas mãe e filha acabaram saindo sem nenhum arranhão, porém todos os pertences a família foram danificados por conta da chuva.

Também na região da saída para Ponta Porã, um barracão de uma empresa do ramo de construção teve a cobertura arrancada pela força do vento e um posto de combustível teve parte do forro de PVC danificado pelo vendaval.

Reação do Poder Público

A reação do Poder Público foi rápida e assim que a chuva parou equipes da Prefeitura de Amambai já saíram às ruas na busca de residências atingidas pelo temporal.

Ainda durante o temporal, que deixou a cidade com aspecto de noite em plenas 13h30, por meio de áudio em redes sociais ligadas a administração municipal, o prefeito de Amambai, Dr. Edinaldo Luiz de Melo Bandeira, fez convocação da Defesa Civil, secretários municipais e pediu o apoio de pessoas voluntárias, lotadas em administração, para uma reunião emergencial com o objetivo de montar equipes para socorrer possíveis famílias vítimas do fenômeno natural.

Logo após a tempestade o próprio prefeito acompanhou as equipes da Defesa Civil, Secretara de Obras e Secretaria de Serviços Urbanos em vistorias a regiões da cidade mais antiga pela tempestade.
No final da tarde dessa terça-feira (13), ao ser procurado pela reportagem do grupo A Gazeta, Dr. Edinaldo Bandeira informou que levantamentos preliminares apontam elevados danos em vários pontos da cidade em Amambai e inclusive em áreas indígenas.

Segundo o prefeito, as equipes ainda permaneciam à campo e após todos dos levantamentos realizados, será elaborado um relatório de dados oficiais sobre a situação deixada pela intempérie.

De acordo com Dr. Bandeira, a prefeitura, por meio da Defesa Civil e da Secretaria Municipal de Assistência Social também já está atuando no sentido de prestar apoio emergencial às famílias impactadas pelo temporal.

Em primeiro momento, em ação emergencial, a Defesa Civil, em conjunto com a Assistência Social, estão realizando a distribuição de lonas às famílias que tiveram suas casas destelhadas, tendo em vista que a previsão é que a chuva permaneça caindo pelos próximos dias em Amambai. 

Segundo o coordenador municipal da Defesa Civil, em Amambai, o subtenente do Corpo de Bombeiros, Wilson Vicente Ferreira, em primeiro momento está sendo realizada a distribuição de lonas às várias famílias que tiveram suas casas destelhadas ou parcialmente destelhadas pelo vendaval, inclusive várias delas na comunidade indígena da aldeia Amambai.

Em segundo momento, segundo Wilson Vicente Ferreira, será montado um plano de ação para socorrer efetivamente, inclusive com a distribuição de cobertura, às famílias que não tiverem condições de realizarem a reconstrução de suas coberturas por meios próprios.

Não chovia há 53 dias

Há 53 dias não chovia, pelo menos em volume expressivo, na região de Amambai.

A falta de chuva fez atrasar o plantio da soja em pelo menos 22 dias, tendo em vista que o zoneamento agrícola do Ministério a Agricultura para a cultura foi aberto no dia 20 de setembro e também resultou no racionamento de água na cidade.

Após o temporal do início da tarde, no final da tarde dessa terça-feira (13) voltou a chover em na cidade e a previsão, segundo o Clima Tempo, é que permaneça chovendo em Amambai e região pelos próximos dias. 

Fonte: A Gazetanews