07/10/2020 07:13

Calor, clima seco e consumo desenfreado estão provocando falta d’água em Amambai

Técnicos da Sanesul se revezam inclusive durante as madrugadas, para tentar manter a regularidade do abastecimento, principalmente na parte da cidade que necessita de sistema de bombeamento.

Is allowance instantly strangers applauded

Vilson Nascimento 

O clima seco provocado pela falta de chuva aliado ao calor intenso e o consumo desenfreado, muitas vezes até de forma irracional por parte de algumas pessoas, já começa a colaborar para o desabastecimento de água em várias regiões da cidade, em Amambai.

De acordo com a gerência local da Sanesul (Empresa de Saneamento de Mato Grosso do Sul), com a falta de chuva e o calor elevado que nos últimos dias tem chegado a 40 graus na cidade, os poços diminuíram a produção e ao mesmo tempo a população passou a consumir mais água, impedindo que os reservatórios se estabilizem em um nível que garanta o abastecimento normal.

Segundo o gerente da unidade local da Sanesul, Silvaney Felix, Amambai conta com dois sistemas de abastecimento de água. Um por gravidade, que abastece a maior parte da cidade e outro por elevação por meio bombeamento, que abastece a parte mais alta.

Acontece que, com a situação atual, de calor intenso e clima seco, motivando o aumento do consumo, a captação de água pelos poços não estão vencendo a demanda e conseguido manter o nível dos reservatórios.

Diante dessa situação atípica, que segundo a Sanesul também já vem ocorrendo em outros municípios do Estado por conta da estiagem, servidores da unidade de empresa em Amambai vem se revezando segundo o gerente, Silvaney Felix, inclusive durante as madrugadas, para tentar manter pelo menos o abastecimento mínimo a todos os pontos da cidade.

A ação, segundo Silvaney, consiste em controlar o nível dos reservatórios com fechamento e abertura periódica de registros, suspendendo temporariamente o abastecimento de determinada região da cidade para possibilitar que a água chegue, mesmo que de forma racionada, em todos os pontos de Amambai.

Orientação é reduzir consumo e evitar desperdício

Segundo a gerência da Sanesul em Amambai, a única forma de manter o abastecimento regular de toda a população nesse momento climático crítico que o município e a região atravessam é a colaboração maciça da população, com a redução do consumo e do desperdício de água.

De acordo com Silvaney Felix é de fundamental importância que cada cidadão dê a sua parcela de contribuição nesse momento, procurando reduzir ao máximo o consumo em suas residências e estabelecimentos comerciais, inclusive evitando lavar calçadas, veículos e utilizar água potável para regar plantas e gramados e também buscar meios de evitar desperdícios, vistoriando suas redes internas à procura de possíveis vazamentos.

“Em Amambai temos uma boa estrutura que, em condições normais, permite manter o abastecimento regular de toda a cidade e com demanda até para novas aberturas de redes. O que está acontecendo agora é algo atípico provocado pelo fator clima, mas que será normalizado assim que voltar a chover”, disse Silvaney.

Atualmente a rede de abastecimento de água da Sanesul em Amambai conta com 9.950 ligações, entre residências e estabelecimentos comerciais e a estrutura de captação, em condições normais, varia entre 4,7 a 5 milhões de litros de água por dia.

Sem chuva há quase 50 dias

No domingo, 4 de outubro, Amambai completou 46 dias sem chuva, pelo menos em índices pluviométricos que pudessem amenizar os impactos provocados pela estiagem prolongada.

Essa situação, além  de causar desconforto na cidade, também tem impactado no campo, impedindo o desenvolvimento das pastagens e principalmente atrasando o plantio da safra 2020/2021 da soja, que deveria ter iniciado no último dia 20 de setembro.

Segundo o Clima Tempo a estimativa é que esta semana permaneça com tempo seco e calor intenso até pelo menos esta quarta-feira, dia 7 de outubro, em Amambai.

 

Fonte: A Gazetanews