Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 14 de Fevereiro de 2018 às 19:02

As plantas alimentícias não convencionais

As PANCs, plantas alimentícias não convencionais, são os vegetais ou porções de plantas comestíveis que usualmente não são consumidos no dia a dia da população.

Muitas plantas são consideradas sem uso pela população, apenas identificadas como mato, praga ou erva daninha. Entretanto, várias espécies podem, sim, servir de alimento e inclusive apresentar grande valor nutricional. Esses vegetais pouco utilizados são chamados de PANCs – uma sigla para “plantas alimentícias não convencionais” –, um termo criado em 2008 pelo biólogo Valdely Ferreira Kinupp.

→ As PANCs

Quando falamos em PANCs, referimo-nos às plantas ou a partes de plantas que podem ser utilizadas na alimentação, mas que não são usadas no dia a dia das pessoas em geral. Esses vegetais, porém, não constituem um grupo homogêneo, como uma família de planta, e podem incluir, por exemplo, tanto as nativas quanto as exóticas, ou ainda plantas de produção espontânea e as cultivadas.

Vale destacar que as PANCs podem ser consumidas rotineiramente em algumas regiões, por isso não são consideradas nesses locais como não convencionais. Portanto, podemos dizer que, para ser uma PANC, o contexto em que essa planta está inserida deve ser analisado.

É muito comum as pessoas associarem as PANCs àquelas plantas que nascem sozinhas, de maneira espontânea. Entretanto, nem todas as PANCs seguem essa característica, e algumas espécies são cultivadas. É por isso que é preciso estar atento e utilizar apenas plantas que apresentam seus componentes conhecidos a fim de evitar qualquer tipo de intoxicação.

→ Como consumir uma PANC

Assim como todos vegetais que conhecemos, cada PANC apresenta uma forma diferente de preparo. Muitas plantas podem ser consumidas in natura, utilizadas na forma de suco ou em saladas. Outras podem ser ingeridas cozidas ou refogadas, e existem ainda aquelas que obrigatoriamente devem passar por cozimento.

A obrigatoriedade de cozimento deve-se ao fato de muitas plantas deverem passar por esse processo para eliminar substâncias que podem causar problemas à saúde. Outras, porém, são cozidas apenas para tornarem-se mais macias. Assim sendo, antes de preparar uma PANC, procure conhecer mais sobre ela.

→ Exemplos de PANCS

Azedinha (Rumex acetosella): Suas folhas apresentam sabor ácido e podem ser usadas em saladas e sucos.

Beldroegão (Talinum paniculatum): Pode-se utilizar suas folhas in natura ou refogadas. Suas sementes também são comestíveis.

Capuchinha (Tropaeolum majus): Podem ser consumidas as folhas, flores e sementes dessa planta. Ela possui sabor picante e costuma ser preparada em molhos, patês, pães e saladas, por exemplo.

Capiçoba (Erechtites valerianifolius): Pode ser usada crua, em saladas, e refogada ou ainda como tempero. Possui sabor picante.

Caruru (Amaranthus spp.): Apresenta sabor semelhante ao espinafre e, para seu consumo, deve ser branqueada. É usada no acompanhamento de carnes ou preparada com o feijão.

Ora-pro-nóbis (Pereskia aculeata, Pereskia bleo e Pereskia grandifolia): Destaca-se por ser rica em proteínas e fibras. Utilizada em recheios e como corante. Folhas e frutos são comestíveis.

Taioba (Xanthosoma taioba): As folhas, os talos e batata podem ser consumidas, entretanto devem ser branqueadas ou cozidas. Esse vegetal não deve ser comido cru.

Atenção: Não consuma plantas que você não tem conhecimento a respeito da origem ou identificação, pois muitas podem ser tóxicas.

Fonte: Brasil Escola

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Nacional

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.