Gazeta de Amambaí


Quarta-Feira, 04 de Julho de 2018 às 15:02

Fiems reforça avanços obtidos pela indústria ao longo dos anos

Ao participar nesta terça-feira (03/07) da cerimônia de abertura da edição 2018 do Enai (Encontro Nacional da Indústria), realizado pela CNI (Confederação Nacional da Indústria), no CICB (Centro Internacional de Convenções do Brasil), em Brasília (DF), o presidente da Fiems, Sérgio Longen, destacou os avanços obtidos pelo setor industrial ao longo dos últimos 12 anos. O evento, que segue até quarta-feira (04/07), tem como tema “A Indústria e o Novo Governo” e discute a governança no País, desafios do crescimento econômico e a quarta revolução industrial.

“Depois de 12 anos de Enai é possível dizer que avançamos muito nas demandas para indústria. É interessante dizer que, ano após ano, pensamos grande para avançar aos poucos e isso é importante porque é um trabalho de formiguinha e pensado a longo prazo. Nesta quarta-feira (04/07) vamos receber aqui os pré-candidatos à Presidência da República, ouvir o que pensam, como pretendem melhorar o ambiente econômico do Brasil e, assim, pensar no futuro”, afirmou Longen, que é o vice-presidente eleito da CNI.

Ele ainda reforçou a importância dos recursos disponibilizados pelo MDIC (Ministério da Indústria Comércio Exterior e Serviços) para as micro e pequenas empresas e a necessidade de se discutir a questão tributária. “Acredito que recursos são importantes, mas eles já existem. As carteiras de crédito que hoje temos disponíveis nas instituições financeiras são expressivas, mas é preciso descomplicar, avançar na pauta tributária, dar mais segurança jurídica e reduzir a burocracia. Acredito que esse seja o caminho e uma grande demanda do empresário”, completou.

Abertura

Segundo o presidente da CNI, Robson Braga, a Confederação reconhece as mudanças implementadas pelo atual Governo. “São mudanças que foram aguardadas por 14 anos e que agora entraram na agenda, como as reformas estruturantes e o estabelecimento do teto de gastos públicos. Apoiamos publicamente essas mudanças e, nesse encontro, estão presentes lideranças da indústria de todo o País, que, organizados e com uma pauta comum, vêm debater temas sobre o cenário político e econômico para que haja ganho de competitividade e segurança jurídica para retomada de investimentos”, pontuou.

Na avaliação do presidente da República, Michel Temer, que fez a abertura do evento, é necessário discutir a questão tributária do País e o momento é bastante oportuno para ouvir as demandas da indústria por ser ano eleitoral e quando todos os futuros governantes estão atentos para elaborar seus planos de governo conforme os anseios da sociedade. “Em dois anos de Governo, colocamos na pauta política do País a reforma previdenciária, um tema controverso, mas fundamental, que precisa ser debatida para amanhã, inclusive, avançamos em alguns pontos na questão tributária, porque a simplificação precisa ser discutida”, afirmou.

Já o ministro da Indústria Comércio Exterior e Serviços, Marcos Jorge de Lima, destacou a importância da contribuição de lideranças industriais para elaboração da agenda econômica do País. " O MDIC é a casa do setor produtivo e com o Programa Brasil Mais Produtivo buscamos melhoria contínua da produtividade, aperfeiçoamento da gestão e avanço da Indústria 4.0 e, com a visão da CNI, está agenda tem crescido. Estão previstos R$ 9 bilhões em recursos para as empresas nacionais investirem em inovação e modernização de seu parque industrial, inclusive para as micro e pequenas, algo que hoje é visto pelo governo federal como fundamental para o desenvolvimento das indústrias, colocando fim a um dos principais entraves, que é a falta de acesso a recursos e conhecimento”,

Programação

Ao todo, dois mil líderes empresariais do País participam do 11º Enai, que prosseguiu com o painel “A Governança do Brasil: Os Problemas, A Agenda, As Saídas”, com a participação do ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, do professor de Direito Constitucional, Joaquim Falcão, e do presidente do Conselho da BRF Foods, Pedro Parente. Logo depois seria realizado o painel “Os Desafios para o Cenário Econômico”, que conta com o diretor do Instituto Brasileiro de Economia FGV – IBRE, Luiz Guilherme Schymura, e o diretor-executivo do Banco Mundial, Otaviano Canuto.

Mais tarde teria o painel “Os Desafios da 4ª Revolução Industrial do Brasil: Um Olhar sobre a Inovação Tecnológica e Produtividade”, com o coeditor do Índice Global de Inovação e ex-reitor da Escola de Negócios SC Johnson College, da Universidade de Cornell, Soumitra Dutta, e o presidente da Whirlpool Corporation, João Carlos Brega. O último painel do dia seria “Sustentabilidade e Fortalecimento do Sistema Associativo da Indústria”, tendo como participantes o presidente da CNI, Robson Braga, e o diretor de desenvolvimento industrial da CNI, Carlos Eduardo Abijaodi.

Em seguida, seria entregue o Prêmio Nacional de Boas Práticas Sindicais e, como encerramento, a palestra com o diretor das Américas da Eurasia Group, Christopher Garman, que falaria sobre “Eleições 2018: Quais as principais tendências e cenários”. O evento segue até quarta-feira (04/06), quando haverá um diálogo da indústria com os candidatos à Presidência da República Geraldo Alckmin, Marina Silva, Jair Bolsonaro, Henrique Meirelles, Ciro Gomes e Álvaro Dias. 

Fonte: Fiems

COMPARTILHE

IMPRIMIR

   
  • Mais Notícias
  • Mais Lidas
  • Mais Estado

Copyright © A Gazeta News.
Todos os Direitos Reservados.
Todas as matérias poderão ser reproduzidas desde que citada a fonte.